16/07
10:57

Repasse do FPE para Sergipe cresceu 5% em junho

O repasse do Fundo de Participação dos Estados (FPE) para o estado de Sergipe, em junho deste ano, alcançou R$ 267,5 milhões. A análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN)

Quando comparado com junho de 2017, em termos relativos, o repasse assinalou aumento real de 5%, considerando o efeito da inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). No comparativo com o mês imediatamente anterior, maio último, observou-se queda de 8,5% na transferência do recurso.

Com os dados de junho, as transferências acumuladas do FPE para Sergipe, nos seis primeiros meses do ano (janeiro a junho), ultrapassaram R$ 1,6 bilhão, registrando alta de 4,6%, quando comparado com o mesmo período de 2017.

Repasse do FPM em Junho/2018

O repasse a todos os municípios sergipanos, através do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), ultrapassou os R$ 102,6 milhões, assinalando elevação real de 9,4%, em relação a junho de 2017. No entanto, em relação ao quinto mês do ano corrente, observou-se queda de 7,5%.

No acumulado dos seis primeiros meses de 2018, o repasse do FPM totalizou R$ 609,9 milhões, registrando avanço real de 8,1%, em relação ao mesmo intervalo do ano anterior.

Repasse do Fundeb em Junho/2018

O repasse do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB) ficou acima dos R$ 52,7 milhões, registrando expansão real de 2,7%, em relação ao mesmo mês do ano passado. No comparativo com o mês imediatamente anterior, notou-se declínio de 18,1% no repasse.

No acumulado do ano corrente (janeiro a junho), a transferência do fundo atingiu R$ 347,3 milhões, situando-se 3,4% acima do verificado em igual período do ano que anterior. Todas as variações são em termos reais.

 



Coluna Eugênio Nascimento
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
15/07
12:05

Coluna Primeira Mão

Sukita em julgamento

 

Será na próxima terça-feira, no Tribunal Regional Eleitoral (TRE/SE), o julgamento do ex-prefeito de Capela, Sukita, por abuso de poder econômico (compra de voto) nas eleição municipal de 2012. Ele apoiava a candidatura da ex-desembargadora  Josefa Paixão à Prefeitura e estaria tentando beneficiá-la.

 

Ideias sociais

 

O deputado federal André Moura continua, pouco a pouco, mostrando as suas "ideias sociais". Primeiro, afirmou em entrevista radiofônica no interior que "bandido bom é bandido morto", que ele negou em Aracaju. Agora ele declara ser a favor da redução da maioridade penal para adolescente. Afinal, "que Brasil ele quer para o futuro"?

 

Bate boca

 

Caso sejam, confirmadas três fortes chapas na disputa do Governo de Sergipe – Belivaldo Chagas (PSD), Valadares Filho (PSB) e Eduardo Amorim (PSDB) encabeçando-as – o processo eleitoral vai virar um bate boca intenso na TV, rádio e mídias sociais. Chagas será o principal alvo, já que os outros dois são seus opositores. Na esfera do Senado, Jackson Barreto (PMDB) e André Moura (PSC)  vão se engalfinhar. JB terá ainda Valadares e  João Fontes no ataque.

 

Destino da Fafen/SE

 

O Governo do Estado pretende propor à Petrobras que adie o fechamento da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados de Sergipe (Fafen/SE) deste ano para o próximo. Assim, a decisão passaria do Governo Temer para aquele que for eleito. O assunto foi discutido na quinta-feira passada em reunião na Sedetec.

 

Tem conteúdo

 

O governador Belivaldo Chagas leva uma grande vantagem em relação aos seus concorrentes na disputa pelo governo estadual. Tem experiência administrativa, tem obras para mostrar e disposição para o trabalho. Com a chegada do horário eleitoral gratuito, analistas políticos estão dando como certo seu crescimento na intenção de votos nas pesquisas de opinião.

 

Novo cenário

 

A extinção pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) dos 22 processos do escândalo das subvenções da Assembleia Legislativa pode ter mudado completamente o cenário eleitoral de 2018. Aqueles políticos que pareciam cartas fora do baralho, agora estão de volta e alianças feitas sem eles deverão ser repensadas ou refeitas. 

 

Redes sociais

 

Tem pré-candidatos e assessores que passam o dia todo nas redes sociais achando que vão conquistar votos nelas. Puro engano. Quer se eleger, vá gastar a sola dos sapatos. Mas apareça de vez em quando nas redes sociais. A ausência poderá levar o eleitor ao esquecimento.

 

Faixa azul 1

 

Foi correta a decisão da Justiça estadual de proibir faixa exclusiva para ônibus em Aracaju. Muito dinheiro do contribuinte aracajuano foi jogado fora para pintar a sinalização horizontal e vertical, sabendo a administração do prefeito João Alves Filho que aquela história de BRT não era pra valer. O BRT não existe na capital. Com essa sentença, acredita-se,  os engarrafamentos vão diminuir. Quem sabe!

 

Faixa azul 2

 

Mas há quem pense diferente. Sem a faixa azul, o transporte coletivo, que leva milhares de moradores da Grande Aracaju ao trabalho diariamente,  vai começar a sofrer atrasos. E quem usa o ônibus terá que suportar o calor, a lentidão e os engarrafamentos.

 

Muito bônus

 

Resolução do Tribunal de Justiça criou o Bônus de Desempenho do Poder Judiciário, que agora foi transformado em lei pela Assembleia Legislativa antes de entrar em recesso em julho. Por intermédio desse bônus, os servidores do Judiciário terão os seus salários aumentados. Por que isso? Porque os seus servidores têm trabalhado para alcançar metas consideradas boas na avaliação anual da instituição. Salvo engano desta coluna, não é esse o seu trabalho? Por que esse privilégio? Os servidores do Judiciário já não recebem seus salários para trabalhar?

 

Blitz só com resultado!

 

Há quem reclame das operações realizadas pela Polícia Militar e Detran para fiscalização a veículos e motoristas, mas é preciso fazer justiça ao caráter inibidor de irregularidades e preventivo a acidentes. Do mês passado pra cá percebeu-se a intensificação das blitze e não é sem razão: é que o Estado quer pegar os inadimplentes com o licenciamento para fazer crescer a arrecadação. Verdade que a blitz também é para coibir situações de embriaguez ao volante, mas o objetivo maior é flagrar os devedores, até para que os custos com hora extra e adicionais noturnos sejam justificáveis. A determinação é que as operações tragam resultado financeiro para o Estado, seja ao flagrar as irregularidades de motoristas displicentes – ou mesmo irresponsáveis –, seja para inibir a inadimplência. Neste caso, as blitze exercem o caráter preventivo, para que o sujeito se antecipe e não queira ter o carro apreendido por falta de licenciamento, por exemplo. E está certo mesmo: que gestor público quer assumir o pagamento de policiais para fazer blitz que não tem resultado?

 

Telemarketing

 

Diariamente somos importunados por telefonemas de funcionários de telemarketing (em especial os bancos, empresas de telefonia, etc.) querendo nos vender alguma coisa. A Assembleia Legislativa precisa aprovar alguma lei que só permita essas ligações com a autorização dos proprietários dos telefones fixos e celulares. Quantas vezes temos que fazer uma pausa numa atividade profissional para atender um telefonema indesejado?

 

Obras públicas

 

Os arquitetos e os engenheiros que fazem obras públicas para os sergipanos devem ter em mente uma coisa: parte de nossa população ainda não tem consciência suficiente para saber que essas realizações são para consumo coletivo e não são para serem destruídas. Por isso essas obras públicas precisam ser à prova de vândalos. Só assim podem resistir ao tempo. O segundo ponto a ser lembrado é que os governantes que sucederão aos que passarão não irão cuidar das realizações dos outros. Esse foi o caso da Orla Pôr do Sol, da Orla do Bairro Industrial e por aí vai.

 

Sonegação

 

Ninguém gosta de pagar impostos, nem empresários, nem trabalhadores, nem classe média. A campanha da Secretaria da Fazenda deve continuar cobrando os  impostos de quem deve. Entre os profissionais liberais, todos conhecemos a cultura do "com ou sem recibo".

 


Bom desempenho

 

Muito bom tem sido o trabalho do líder do prefeito na Câmara de Vereadores, o professor Bittencourt, ao ter lidar com certos membros da oposição que criticam por criticar e sem nenhuma responsabilidade política. Os eleitores aracajuanos merecem um nível de tais políticos.

 

Pensamento positivo

 

Grupos que defendem a legalização da maconha no Brasil estão pensando que o show da Esquadrilha da Fumaça da FAB, nesse domingo em Aracaju, tem a ver com mais um apoio para a sua causa. Alto lá! É bom evitar mal-entendidos!

 

Novas potências

 

Houve um tempo que os torcedores brasileiros diziam que, em qualquer Copa do Mundo, as potências mundiais do futebol, no frigir dos ovos, terminariam sempre prevalecendo. Em 2018, o quadro mudou pra valer. A Itália ficou de fora e os outros grandes foram aos poucos sendo eliminados por equipes de pequenos países. Assim, caíram a Argentina, Alemanha e Brasil. Com um troféu da Copa do Mundo, a França está se candidatando a entrar no clube das potências futebolísticas, ao disputar a partida final deste ano. A grande surpresa mesmo é a Croácia, pequeno país que antes fez parte da Iugoslávia, que pode ficar com título pela primeira vez.

 



Coluna Eugênio Nascimento
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
08/07
07:46

Coluna Primeira Mão

Ainda a subvenção

 

 

Tem rendido muitos debates acalorados  a decisão do TSE de extinguir os processos dos envolvidos no escândalos das verbas de subvenção da Assembleia Legislativa. Um procurador federal aposentado exprimiu sua opinião. Advogados também expressaram seus pontos de vista. Dois procuradores federais na ativa convocaram a imprensa para  dizer que fizeram o trabalho certo. Tudo bem, tudo bem. Mas também é certo que tem coisa estranha nesse imbróglio. Tem, sim senhor.

 

 

As pesquisas

 

 

Além das divergências em torno dos primeiros colocados para o Governo de Sergipe e o Senado Federal, alguns institutos insistem em apresentar nomes de pré-candidatos a deputado federal e estadual preferidos do eleitorado. Na verdade, eles são apenas citados. O número de consultas não é suficiente para expor um resultado confiável. Vale lembrar: são apenas citações.

 

 

Campanha artificial

 

 

Vai soar muito artificial a candidatura  do ex-deputado federal  Mendonça Prado como herdeiro de João Alves Filho. Para sua infelicidade, o ex-governador não poderá fazer campanha pra ninguém por causa de sua saúde debilitada. E talvez seja também esse o caso da senadora Maria do Carmo. O que se pode esperar de sua campanha é que ela uma campanha negativa, podendo beneficiar esse ou aquele também candidato a governador.

 

 

Pra turista ver

 

 

Esta coluna tem observado que certas autoridades estaduais e municipais têm justificado a melhoria de serviços públicos pondo em primeiro lugar "o turista". A preocupação com isso e com aquilo seria para agradar o turismo. Isso está errado. Os sergipanos devem ser os principais destinatários de obras e de serviços públicos de qualidade, e compartilhando deles com as pessoas que vêm visitar Sergipe.

 

 

Ficou na promessa

 

 

O ex-prefeito João Alves Filho prometeu e não cumpriu a instalação de semáforos inteligentes em Aracaju. Edvaldo Nogueira, atual prefeito, diz que está instalando os tais semáforos na avenida Heráclito Rollemberg. Bom trabalho, mas o que Aracaju precisa, pensando no longo prazo, é da abertura de novas grandes avenidas.

 

Será?

 

 

Perguntar ofende? Será que existe alguma conexão entre o não pagamento de ICMS e o financiamento de campanhas eleitorais?

 

Por que parou?

 

O tempo passa e o caso da execução da vereadora Marielle Franco do Rio de Janeiro permanece não esclarecido. Quem a matou e a mando de quem? As autoridades encarregadas da investigação, de vez em quando, vêm a público dizer que estão "chegando lá" e depois desaparecem. Esse parece ser um caso condenado ao esquecimento. Para casos como esse, é assim que funciona o Brasil.

 

 

Convenções partidárias

 

 

Os pré-candidatos à todos os cargos eletivos começam a se movimentar em Sergipe para levar fiéis eleitores para as convenções partidárias, que serão realizadas em julho e agosto. Os partidos e eles precisam mostrar força.

 

 

Ainda bem

 

 

Finalmente a Operação Lava-Jato está alcançando empresários de multinacionais estrangeiras. Do jeito que a coisa ia, dava a entender que os fatos de corrupção e de propina eram apenas coisas de brasileiros. 

 

 

Cobrança rígida

 

 

Enquanto os contribuintes sergipanos estão aguardando os desdobramentos do problema da dívida do ICMS  da Energisa para com o Estado, outra empresa, a Ricardo Eletro, foi objeto da ação da Secretaria da Fazenda por causa do não pagamento do mesmo tributo. Aparentemente a lista desse tipo de devedores é longa. Esse dinheiro precisa ser cobrado.

 

 

E o ICMS, hein?

 

 

Enquanto os contribuintes sergipanos estão aguardando os desdobramentos do problema da dívida do ICMS da Energisa para com o Estado, outra empresa, a Ricardo Eletro, foi objeto da ação da Secretaria da Fazenda por causa do não pagamento do mesmo tributo. Aparentemente a lista desse tipo de devedores é longa. Esse dinheiro precisa ser cobrado.

 

 

Será?

 

 

Perguntar ofende? Será que existe alguma conexão entre o não pagamento de ICMS e o financiamento de campanhas eleitorais?

 

 

Só na torcida

 

 

Velhos comunistas sergipanos que passaram temporadas na Rússia estão curtindo muito rever imagens de Moscou e de outras cidades do país. Se a partida final for entre Brasil e Rússia, depois de tanto tempo, temos certeza de que torcerão pelo Brasil.

 

 

Meirelles candidato

 

 

O ex-ministro da Fazenda de Michel Temer, Henrique Meireles, insiste em ser candidato a presidente da República. Talvez o seu cálculo seja ser vice de algum outro presidenciável. Ele não deu um jeito na economia como Fernando Henrique Cardoso, com o sucesso do Plano Real. Ao contrário, piorou. O que ele tem para dizer ao povo brasileiro? Que tem muito dinheiro e que pode financiar a sua própria campanha, uma campanha do seu ego.

 

 

De volta

 

 

Com a extinção dos processos do escândalo das subvenções da Assembleia Legislativa pelo Tribunal Superior Eleitoral, é de se esperar que haja pouca renovação nos quadros dos deputados estaduais. Alguns podem ficar de fora, mas a maioria poderá voltar à Casa do Povo sergipano.

 

 

Surpresa

 

 

Belivaldo Chagas tem surpreendido positivamente muita gente no seu desempenho como governador. Tem-se mostrado aberto ao diálogo, tem sido duro e direto quando necessário, tem resolvido problemas e incansável nas suas visitas às lideranças nos quatro cantos do estado. E tem experiência administrativa, o que falta a seus adversários.

 

 

Malandro é malandro

 

 

Fortemente enraizada na nossa população, a desprezível cultura do malandro recebeu dois golpes na Copa da Rússia. O primeiro foi a reprovação do comportamento de brasileiros pedindo para uma russa, que nada entendia de português, dizer a cor de sua genitália, ou seja, b... rosa. O outro golpe sobrou para Neymar, bom jogador mas também o rei da simulação. Jornais estrangeiros o chamaram de trapaceiro, o que faz sentido porque futebol é um jogo. É lastimável que narradores e comentaristas de jogos de futebol, quando querem se referir a uma jogada inteligente ou algo assim, falem positivamente que foi uma "malandragem".


Coluna Eugênio Nascimento
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
01/07
14:47

Coluna Primeira Mão

Um bom conselho

 

A Justiça Eleitoral de Sergipe precisa pegar alguns dos nomes e endereços dos entrevistados por institutos de pesquisas para ver se existem, se foram realmente consultados pelos pesquisadores e se as opiniões deles são aquelas mesmo. Não há nada que aponte para a divulgação de pesquisas falsificadas, a pedido de políticos, mas...quem sabe.

 

A salvação

 

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) extinguiu as denúncias contra 22 deputados estaduais de Sergipe acusados de destinação irregular de verbas de subvenções sociais da Assembleia Legislativa do Estado (Alese) a entidades filantrópicas, caso que teve início no ano de 2014.

 

Eliane para vice

 

Agora, com o nome liberado para ser candidato à reeleição, o deputado federal João Daniel apaga o sonho da vice-prefeita de Aracaju e também petista como ele, Eliane Aquino de disputar uma cadeira para a Câmara. O nome dela volta a ser cotada apenas para vice na chapa encabeçada por Belivaldo Chagas (PSD) para o Governo de Sergipe.

 

Há entusiasmo

 

Embora evita afirmar que pretende ser o vice de Belivaldo Chagas, Luciano Bispo, atual presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe, gosta de ser lembrado para o cargo. Os amigos simpatizam com o sonho do itabaianense.

 

Boas chances

 

Os comentários entre petistas e não-petistas são de que o partido poderá eleger dois deputados federais em outubro próximo – João Daniel e Iran Barbosa. Mas há também quem diga que somente um deles passará no crivo popular.

 

Desesperados

 

Tem candidatos a deputados estadual e federal que  iniciaram uma maratona de visitas a terreiros de umbanda, benzedeiras e rezas em igrejas  católicas e evangélicas em busca de informações sobre seus futuros políticos. É melhor acordar cedo, diariamente, e partir para a caça ao voto.

 

Há disposição

 

O deputado federal Valadares Filho continua bastante dispostos a disputar o Governo de Sergipe pelo seu PSB. Mas alguns antigos aliados insistem na tese de que esse propósit0o termina ainda no decorrer deste mês de julho, que começa na neste domingo.

 

Mais cotas

 

Criar condições institucionais e creditícias para fazer surgir empresários negros e pardos é uma boa ideia. É o que chamam de afro-empreendedorismo e ela deve ser estimulada pelos governos. O Brasil também precisa de generais, almirantes e brigadeiros negros e pardos nas nossas Forças Armadas.

 .

 

Planos de saude

 

Todo o mundo disse que a proposta de  reforma da previdência de Michel Temer visava a  agradar os planos de saúde. O governo federal perdeu, mas agora vem uma conta salgada para os usuários desses planos. Os consumidores terão de pagar os seus planos de saúde acima dos números da inflação. Do jeito que a coisa vai, a classe média terá de recorrer muito em breve ao SUS. 

 

Messiânico

 

Quem já não ouviu alguém dizer o brasileiro é um povo messiânico? Vive esperando um Messias para resolver todos os seus problemas. No momento atual, Lula encarna muito bem esse papel de líder messiânico, mas ficará fora do páreo eleitoral. Algum outro candidato a presidente com esse perfil? Nada. Os eleitores terão de lidar com a falta de boas lideranças ou com líderes medíocres

 

A Rússia exposta

 

É bom que a Copa do Mundo esteja acontecendo na Rússia. Por causa de seu antigo regime político, os russos não eram muito conhecidos pelos povos de todos os continentes. Preconceitos e estereótipos sobre esse povo valente, que esteve sob a ditadura dos Romanov por cerca de 300 anos e mais de 60 anos sob os ditadores comunistas, que fez muitas guerras, que ajudou os ocidentais a derrotarem o nazi-fascismo e teve as maiores perdas humanas na II Guerra Mundial, que possui uma literatura com grandes nomes mundiais e grandes compositores da música clássica, que está entre os maiores quando se trata de balé. que possui um dos belos museus do mundo e construiu vários castelos semelhantes a Versalhes. 



Coluna Eugênio Nascimento
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
24/06
18:50

Coluna Primeira Mão

Falando com mortos

  

Não muito tempo atrás, quando as eleições eram demasiado fraudulentas, mortos votavam e ajudavam a eleger políticos. Agora, tem gente falando com mortos e transmitindo mensagens que visam a prejudicar candidatos. A Justiça Eleitoral não pode tolerar essa prática de banditismo eleitoral de pessoas que supostamente conversam com mortos. É preciso respeitar a memória do ex-governador Marcelo Déda.

 

100 mil empregos

 

Em entrevista ao programa Balanço Geral, da TV Atalaia,  o secretário de Estado da Fazenda, Ademário Alves, anunciou que pretende criar 100 mil novos empregos em Sergipe. Nos próximos dias vai anunciar um projeto para fazer o Estado voltar a crescer.

 

Os processados

 

A Justiça Eleitoral deveria fornecer listas de candidatos respondendo a processos na justiça. Isso, sim, ajudaria a melhorar a qualidade do voto do eleitor. Em todos locais de votação, os eleitores poderiam conferir os nomes dos políticos envolvidos com culpa no cartório, condenados ou não.

 

É preocupante


Alguns candidatos do PSL de Sergipe usam como slogan de campanha “Endireita, Brasil”. Alguns eleitores pensam que a proposta é endireitar, consertar o país. Mas parece se tratar de jogar o Brasil nas mãos de direitistas, alguns dos quais inconsequentes.


Sem estímulos

 

Os candidatos a mandatos eletivos terão dificuldades para levar os eleitores aos locais de votação. Os eleitores não terão estímulos para votar. Primeiro, a multa cobrada para quem não vota tem valor menor do que as passagens de ônibus. O transporte de eleitores, que é proibido, poderá ficar fortalecido. Segundo, um incentivo para ir votar poderá a compra-e-venda de votos, prática que pode aumentar no país inteiro.

 

Cobrança

 

Quando o pré-candidato Eduardo Amorim (PSDB) anunciar que pretende construir o Hospital do Câncer e fizer críticas àqueles que não o construíram, os governistas vão lhe indagar por que não o fez quando foi secretário de Estado da Saúde.

 

Os desonestos

 

Os candidatos que se apresentarem como honestos parecerão mais suspeitos nas próximas eleições por causa de casos e mais casos de corrupção.. Se eles são honestos, por que precisam dizer que são diferentes dos desonestos, uma vez que os tornados desonestos um dia já disseram que eram honestos?

 

Cuidado!

 

Se antes o caixa 2 era proibido e era burlado, por quê os candidatos deixarão de fazê-lo agora? O financiamento empresarial continuará, só que com mais cuidados.

 

Em fuga

 

Os jovens de 16 a 18 anos tenderão a fugir das eleições. O impacto dos seguidos casos de corrupção tem mais abalado esse contingente de eleitores.

  

Promoção imediata


Policiais militares querem o fim do subsídio e a volta do posto imediato, mediante o qual, com aposentadoria, ganha uma promoção. Isso é retrocesso.

 

Uso indevido

 

Usuários dos serviços de saúde do IPES comentam que pessoas sem direito a tais benefícios estão recebendo autorização de funcionários do órgão  para fazer consultas, exames e cirurgias. O resultado disso é que os prazos para qualquer serviço requisitado foram aumentados. Efeito da proximidade das eleições?


Desagradou geral


Os caminhoneiros sergipanos não estão contentes com o preço do óleo diesel nas bombas dos postos de gasolina. Afinal, fizeram aquela greve pra que? Os motoristas que usam gasolina, que esperavam pegar carona na greve dos caminhoneiros e que por isso apoiaram a greve, também não estão satisfeitos com o preço da gasolina. O governo federal está conseguindo desagradar aos dois grupos de consumidores.

 

Terceiro turno


A ideia já foi experimentada em outras cidades e bem que poderia ser testada em Aracaju. Considerando que os trabalhadores do setor privado não têm tempo de cuidar de seu bem-estar, a Secretaria Municipal da Saúde bem que poderia introduzir o serviço público chamado de "terceiro turno" para atender essa população com consultas, exames, etc. Durante os dois turnos ordinários, são velhos, mulheres, velhos e crianças que frequentam os postos de saúde.

 

Grande trapalhão


Pelas informações conseguidas até agora, aparentemente não existem crianças sergipanas separadas de seus pais e custodiadas nos Estados Unidos. Durante a II Guerra Mundial, crianças eram separadas dos pais quando estes eram eliminados. Esse presidente norte-americano é realmente um grande trapalhão.

       

Só dá barão


Um levantamento sobre os títulos de nobreza de Sergipe detectou que o baronato no tempo do império era muito forte no Estado. Tínhamos Barão de Estância (Antônio Dias Coelho e Melo), Barão de Cotinguiba (Bento de Melo Pereira),  Barão de Maruim (João Gomes de Melo); Barão de Propriá (José da Trindade Prado), Barão do Rio Apa (Antônio Enéas Gustavo Galvão),  Barão de Traipu (Manuel Gomes Ribeiro), Barão de Itaporanga (Domingos Dias Coelho e Melo), Barão de Japaratuba (Gonçalo de Faro Rollemberg),Barão de Laranjeiras (Felisberto de Oliveira Freire), Barão de Aracaju (José Inácio Acciolli do Prado) e Barão de Itabaiana (Pedro Leopoldo de Araújo Nabuco). 



Coluna Eugênio Nascimento
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
17/06
10:42

Coluna Primeira Mão

Desconfiança

 

Os candidatos a cargos políticos vão ter que gastar a sola dos sapatos ou a borracha dos tênis para tirar de casa o eleitor sergipano para votar. O desinteresse pelas eleições é muito grande, devido ao aumento da perda de confiança nos políticos com a divulgação de tantos escândalos de corrupção em Sergipe e no Brasil. Sem confiança nenhuma sociedade democrática pode existir. Talvez por isso a compra de votos seja mais valorizada nessa eleição, ao contrário do que têm dito certos candidatos.

 

Momento das pesquisas

 

As pesquisas de intenção de voto só registram um momento, dizem aqueles candidatos que aparecem mal colocados. Questionam a metodologia da pesquisa e assim por diante. Os candidatos que estão bem posicionados afirmam que os números apontam para uma tendência que deve persistir. Na recente pesquisa publicada na quinta-feira passada, o argumento da fotografia de um momento se mostra como o mais forte.

 

Sob suspeita

 

Essas pesquisas direcionadas para beneficiar quem as paga ou os seus pré-candidatos estão sendo identificadas facilmente pelos eleitores nas redes sociais e até mesmo em bate papo de mesa de bar. Na última tornada pública, o pré-candidato a senador que estava para lá de fraco aparece muito forte, não é pastor Heleno? Mantida nessa tendência de fraco ficar muito forte, João Tarantela, com seus 0,2%, vai terminar eleito governador de Sergipe. Sem maldade.

 

Agendas desconectadas

 

As agendas do governador Belivaldo Chagas (PSD) e da vice-prefeita de Aracaju Eliane Aquino (PT) não conseguem se conectar para o tal do encontro em que Chagas fará o convite para ela ser a pré-candidata a vice-governadora de sua chapa.

 

Duelo de Titãs

 

A disputa pelo Governo de Sergipe se resumirá ao enfrentamento de Eduardo Amorim (PSDB), Belivaldo Chagas (PSD) e Valadares Filho (PSB). Talvez só a dois dos três citados. Mas a disputa pelas duas vagas para o Senado tem pelo menos cinco nomes fortes: Jackson Barreto (PMDB); Antônio Carlos Valadares (PSB); André Moura (PSC); Rogério Carvalho (PT); e Heleno Silva (PRB).

 

Subvenções

Não impressionou o voto do presidente Fux, do TSE, pedindo a condenação de um bom número de deputados no caso das verbas de subvenções da Assembleia Legislativa de Sergipe. Chamou a atenção o fato de certos nomes ficarem de fora da canetada do ministro. É verdade que Brasília fica muito longe de Sergipe e as informações contidas nos processos podem estar incompletas... ou não. Tudo bem, a votação ainda não foi concluída.

 

Mais para a Saúde

 

Sobre a parta da Saúde, o secretário de Estado da Fazenda, Ademario Alves, frisou, em se balanço na Assembleia Legislativa, na quinta-feira passada, 14, que o governo vai investir mais: “É uma determinação do governador Belivaldo Chagas. O compromisso do governador é no sentido de que a Saúde vai ser melhor e ainda mais contemplada dentro do orçamento. É provável que o orçamento da Saúde para 2018 feche com um patamar superior a 13%, que já é acima do mínimo previsto constitucionalmente”, acredita.

 

Preferencial

 

Alguém sabe explicar por que quando você está sendo atendido presencialmente num banco, se outro cliente telefona ele passa a prioridade sobre você? Você que se desloca até o banco e o outro cliente nem sai de casa.

 

Desfazer-se do Banese, não!

 

O secretário de Estado da Fazenda defendeu esta semana o fortalecimento do Banco do Estado de Sergipe (Banese). “O Estado não vai vender o Banese”, garantiu aos deputados, enquanto participava de audiência pública na Assembleia Legislativa de Sergipe. Ademario Alves informou que junto com a diretoria do banco foi a São Paulo buscar soluções para melhorar o plano de negócios, investir na parte tecnológica e ampliar o escopo de atuação com o objetivo de agregar valor à instituição financeira. De acordo com Ademario, o pensamento do governador é tentar triplicar o valor de mercado do Banese. Quando se aumenta o valor de mercado, aumenta-se também o lucro. Como nós vamos nos desfazer de um ativo que está gerando dinheiro e pode gerar muito mais?”, colocou ele aos deputados.

 

Celeridade no STF

 

O tempo do STF pode ser lento ou rápido, dependendo de como é usado o poder de agenda por quem dirige a instituição. No caso de Gleisi Hoffmann, a presidenta do STF Carmen Lúcia mostrou uma espetacular celeridade. Tem muitos processos de outros políticos que chegaram bem antes do processo da senadora e serão pautados depois do dela.

 

Venda do aeroporto

 

O Governo Federal pretende leiloar, ainda no decorrer deste ano, a concessão de três blocos de aeroportos no Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste. Isso poderá acontecer até o fim da primeira quinzena de dezembro. A informação foi divulgada pelo site “Valor”. O maior e mais atrativo bloco de aeroportos é o do Nordeste. O conjunto envolve seis aeroportos, sendo quatro em capitais. Este bloco abrange as cidades do Recife, Maceió, João Pessoa, Aracaju, Juazeiro do Norte e  Campina Grande. Para o bloco do Nordeste foi fixado um lance mínimo de R$ 360,4 milhões.

 

Na Rússia

 

Os sergipanos que arrumaram as malas e viajaram para a Rússia têm enviado notícias positivas sobre a beleza de Moscou e outras cidades, especialmente São Petersburgo.

 

Festas juninas

 

As festas juninas do Nordeste são as mais belas do Brasil. Mas a urbanização da região as tem feito parecer, no quesito indumentária e dança, com as escolas de samba do Rio de Janeiro. É o que dizem os saudosistas. Sabe o que é o pior? Eles têm razão.

 

Só corrigindo

 

Enquanto era vivo, o saudoso José Carlos Teixeira contava uma anedota sobre um professor de português que tinha sido convocado para depor no 28BC. Ele prestou o depoimento e, quando pedido para assinar o documento datilografado por militar, se negou a fazê-lo. Por quê?, perguntou o responsável pelo inquérito. Ele respondeu que só assinava os trabalhos dos alunos depois de corrigi-los. Isso irritou o militar encarregado do seu caso, mas o professor não cedeu. O que fazer então? O militar resolveu levar o caso ao comandante Silveira, que então chefiava a guarnição. O professor repetiu o que já tinha dito mais de uma vez: só assinava se lesse e corrigisse o documento. Diante de tanta firmeza, sorrindo, o comandante autorizou o professor a seguir em frente e corrigir o depoimento datilografado.

 

Briga é briga

 

Qual é a diferença entre uma briga de rinha e uma luta valetudo da UFC? Nenhuma, fora o fato de que num caso tem galos brigando e no outro são humanos que se batem. Essa nota vem a propósito da prisão de responsáveis por rinhas de brigas de galos essa semana em Aracaju. Os galos de briga humanos também não têm empresários e as pessoas não fazem apostas?



Coluna Eugênio Nascimento
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
16/06
21:23

Como os aracajuanos viram a Copa de 1970

A conquista da Copa do Mundo de 1970 é inesquecível para os brasileiros, em especial para os sergipanos.  Foi nela que nos tornamos tri campeões e estavam na equipe craques como o nosso Clodoaldo, Pele, Tostão, Jairzinho, Rivelino e Gerson. Era um timaço.

Lembro-me bem dos jogos que vi na TV e depois no Canal 100, nos cinemas de Aracaju. Na TV, a visibilidade não tinha a qualidade que temos hoje. Muitos chuviscos, aquelas formiguinhas se faziam presentes o tempo todo.

O canal não era nosso, de Sergipe. Recebíamos as imagens de emissoras do Rio de Janeiro. Dava para ver algumas coisas  e ficava claro para todos que tínhamos a melhor seleção do mundo jogando no México.

Vale lembrar que a pobreza em Aracaju era muito grande,  bem maior ainda era nos municípios do interior. Por causa disso, na capital, ao contrário dos dias atuais, poucos lares pobres, na verdade de classe média baixa, tinham acesso  ao aparelho televisor.

As marcas mais visíveis nas casas eram Semp (depois Semp Toshiba), Empire e Telefunken. Nos anos de 1970 predominavam os aparelhos com imagem em preto e branco, embora a transmissão tenha ocorrida em cores.

Portanto, a Copa de 1970 foi transmitida em cores, mas a grande maioria dos sergipanos viu em preto e branco. Há algumas exceções e no caso cabem aqueles que compraram telas de acrílico em azul, vermelho, verde, rosa e amarelo e instalaram em frente aos televisores.

Na verdade, as pessoas muito pobres se instalaram nas janelas das casas que tinham televisores – normalmente vizinhos ou moradores das proximidades -  e assistiram a conquista do tri pelo Brasil. Um empurrão para lá, outro para cá e.... gol. Brasil  campeão.



Coluna Eugênio Nascimento
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
10/06
13:54

Coluna Primeira Mão

 

Sindicato forte


Em tempos de eleições, sindicatos de professores promovem greves e paralisações. Isso pode significar duas coisas: Mostrar que as lideranças não são pelegas, mas combativas, é a primeira e a segunda é decorrente da anterior, no caso mobilizar professores, que também são eleitores, para votar nos candidatos da categoria. Só e somente o poderoso sindicato da rede estadual de ensino consegue eleger deputado estadual sem precisar da ajuda de ninguém.


Jeito de governar

Alguns analistas políticos dizem que a forma de governar do prefeito Edvaldo Nogueira consiste no seguinte: jardinagem, paisagismo, coleta do lixo, garantir o pagamento da folha de servidores, realização de festas juninas e construção ou recuperação de alguma orla. Isso parece muito pouco e mostra má vontade, mas já é muita coisa comparada com a administração de seu antecessor. Desde que Edvaldo assumiu a prefeitura, Aracaju melhorou muito.


Economia em foco


Existem previsões sobre as próximas eleições que afirmam que a corrupção e a criminalidade serão os assuntos mais debatidos. É bem possível, mas o problema verdadeiro continuará sendo a economia. Como colocar o Brasil na trilha do crescimento econômico? Os candidatos a governador também precisam ter respostas para o problema em seus estados e parar com a desculpa de que a crise econômica é somente da responsabilidade do federal. Isso vale para todos


Bolsanaro em SE


O deputado federal Jair Bolsonaro esteve em Sergipe na quinta-feira passada. Candidato à presidência da República, tem um cabo eleitoral de peso. Trata-se da mídia sensacionalista que faz a cobertura da criminalidade no país. O outro cabo eleitoral dele é a incompetência das polícias estaduais na prevenção de crimes. Se Bolsonaro não for barrado na justiça, pode criar problemas para candidatos moderados. As lideranças de seu partido defendem, entre outras coisas, o uso de arma para autodefesa. Trata-se do Projeto Urtigão.


Salários dos servidores


O governador Belivaldo Chagas trabalha a ideia de pagar dentro do mês trabalhado os salários dos servidores públicos do Estado. Esse projeto não sai de sua mente.


PT aliançado


Ao contrário do que tem sido comentado por segmentos da mídia, não tem força no PT a proposta de disputar as eleições deste ano em Sergipe com chapa puro sangue. Os grupos do presidente do partido, Rogério Carvalho, do deputado federal João Daniel e ex-deputado Márcio Macedo, que formam a maioria, apostam na aliança com o governador Belivaldo Chagas (PSD) e o ex-governador Jackson Barreto (MDB). Quem aposta no PT só é a tendência da deputada estadual Ana Lúcia.


Menores expostos


Em vários grupos de WhatsApp são exibidas fotos de menores infratores, a exemplo daquele que é acusado de ter assassinado, na semana passada, uma policial/sargento destacada na Assembleia Legislativa de Sergipe. É claro que a coluna não compactua com o matador, mas esse tipo de exibição é proibida por lei.


Riachão do Dantas


O mandato da prefeita de Riachão do Dantas parece ser um dos mais complicados. Ela se envolve em problemas com frequência. Embora a população goste de muitas cores, a prefeita resolveu pintar todos os prédios públicos com a sua cor favorita: o verde. Lembra o ex-prefeito João Alves no seu último mandato em Aracaju.


Junho mês do desgosto


Junho de 2018 anda mais agressivo que os últimos agostos, o mês do desgosto. Até agora morreram em Sergipe as seguintes personalidades: o arcebispo D. Luciano José Cabral Duarte, o ex-deputado federal e ex-vice-governador José Carlos Teixeira, professora e pedagoga Ada Augusta, o ex-prefeito de Aracaju Cleovansóstenes Pereira de Aguiar e ainda estamos nos 10 primeiros dias do mês. Cuidado!


Derrubada de postes


Os sergipanos derrubam quase um poste de iluminação por dia durante o ano. Quais as causas para esses acidentes? Não existem dados sobre o assunto. Pessoas arriscam dizer que são a embriaguez ao volante e o uso do celular enquanto dirigem. À essas duas causas poderíamos acrescentar a baixa qualidade do treinamento das auto-escolas e a facilidade na aprovação nos exames do Detran?


Traição histórica


Por mais incrível que pareça, ainda está rendendo a história da "traição" sofrida pelo falecido ex-presidente do velho MDB em Sergipe, José Carlos Teixeira. Isso é o que se chama "falta do que fazer". O comportamento de certas pessoas parece ressentimento e campanha eleitoral para prejudicar a campanha do "traidor". Para refrescar a memória de muitos, naqueles tempos o PT era a esquerda em Sergipe. O resto era o resto.


Eleitor só dança


É tempo de festas juninas! Enquanto os eleitores estiverem se divertindo, não está no gibi a grande quantidade de candidatos tomando quentão, pulando fogueira, frequentando quadrilhas, mantendo um sorriso permanente no rosto, marcando quadrilhas, apertando mãos, dando tapinha nas costas de conhecidos e desconhecidos e arriscando alguns passos de dança. Só não pode pisar no pé da dama, pois isso tira voto!


Execução de Marielle


O caso da execução da vereadora carioca Marielle Franco, passados quase dois meses, continua na estaca zero. Toda vez que autoridades civis e militares vêm a público só trazem a mesma mensagem: justificativas por ainda não terem encontrado os assassinos da vereadora e de seu motorista. Talvez uma comissão de investigadores independente possa dar as respostas que a opinião pública brasileira tanto espera.


Canudinhos trapalhões


O Rio será a primeira cidade brasileira a proibir o uso de canudos de plásticos. Por que não fazer isso por aqui também? Estima-se que eles resistem 400 anos, poluem mares e matam tartarugas, baleias e outros mamíferos marinhos.

 



Coluna Eugênio Nascimento
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
1 2 3 4 5 6 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos