13/03
15:35

Balança comercial sergipana registrou déficit de US$ 7,2 milhões, em fevereiro

Em relação às importações do mês de janeiro deste ano, houve aumento de 22,8%

Análise realizada pelo Núcleo de Informações Econômicas (NIE), com o apoio do Centro Internacional de Negócios – CIN/SE, da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES), com base nos dados do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), apontou que as exportações, em fevereiro deste ano, somaram US$ 6,3 milhões, apresentando queda de 20,8%, quando comparado com o mês de fevereiro do ano passado, e registrando aumento de 0,8% em relação ao mês imediatamente anterior, janeiro último. Enquanto isso, as importações ficaram em pouco mais de US$ 13,5 milhões, com queda de 23,9%, no comparativo com o mesmo mês do ano anterior. Já em relação às importações do mês de janeiro deste ano, houve aumento de 22,8%. Por fim, o saldo da balança comercial, em fevereiro deste ano, ficou deficitária, fechando o mês com saldo negativo de US$ 7,2 milhões.

No mês em análise, as vendas de Sucos de laranja, congelado, não fermentados fecharam em US$ 3,5 milhões, respondendo por 56,1% das exportações sergipanas. Já as vendas de Outros açúcares de cana, beterraba, sacarose quimicamente pura, sol somaram aproximadamente US$ 1,2 milhão, representando 18,7% das exportações. Dessa forma, 74,8% das exportações do estado foram representadas por esses dois produtos. O principal destino dos itens produzidos em Sergipe, no mês analisado, foi a Bélgica, que demandou 45,4% das vendas do estado. Em termos nominais, as vendas para os belgas somaram mais de US$ 2,8 milhões. O segundo principal destino das exportações sergipanas foram os Países Baixos, que adquiriram US$ 901,5 mil ou, em termos percentuais, 14,2%.

Já as importações, do mês em análise, concentraram-se nas aquisições de Coque de petróleo não calcinado, que somou US$ 3 milhões, ou 22,4% das compras sergipanas, e Outros cloretos de potássio, que totalizou US$ 2,5 milhões ou 18,6% das compras do mês. Quanto à origem dos produtos adquiridos por Sergipe, os fornecedores que se destacaram foram os Estados Unidos e o Canadá, ao enviarem US$ 4,4 milhões e US$ 2,1 milhões em produtos, respectivamente.

Fonte e elaboração do gráfico: NIE/FIES
Fonte do gráifco: MDIC/COMEX STAT


Economia
Com.: 0
Por Redação
12/03
16:29

Venda de combustíveis em Sergipe teve queda de 1,4% em janeiro

Totalizaram pouco mais de 67 milhões de litros, assinalando alta de 0,4% em relação ao mesmo mês de 2018

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), indicou que as vendas totais de combustíveis, no mês janeiro deste ano, totalizaram pouco mais de 67 milhões de litros, assinalando alta de 0,4%, em relação ao mesmo mês de 2018. Em relação ao mês imediatamente anterior (dezembro/2018), as vendas totais retraíram 1,4%.

Combustíveis comercializados em Janeiro/2019

Foram vendidos 31,7 milhões de litros de gasolina, no mês analisado. Em termos relativos, verificou-se queda de 3,7% nas vendas, em relação ao mesmo mês de 2018. Já na comparação com o mês de dezembro de 2018, a retração foi de 0,2%.

A comercialização do etanol hidratado, no mês em análise, assinalou alta de 51,4%, quando confrontado com o volume de vendas do mesmo mês de 2018. Em volume, as vendas chegaram a 6,1 milhões de litros. Quando comparado com o mês de dezembro de 2018, notou-se retração de 14,8% no consumo.

No tocante ao óleo diesel, foram comercializados 26,7 milhões de litros no mês de janeiro. Em termos comparativos, verificou-se leve alta de 0,1%, em relação ao mesmo mês de 2018. Quando comparado com o mês de dezembro de 2018 as vendas também apresentaram alta de 0,1%.

A venda do combustível utilizado pelas aeronaves, o chamado querosene de aviação, alcançou os 2,5 milhões de litros, apresentando recuo de 19,2%, em relação a janeiro de 2018. Na comparação com o mês imediatamente anterior (dezembro/2018), as vendas avançaram em 5,5%.

Fonte: NIE/FIES


Economia
Com.: 0
Por Redação
12/03
16:26

Inflação acelera e fica em 0,54% em fevereiro

A aceleração foi puxada pelos grupos de educação e de alimentos, que ficaram acima da inflação

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do país, ficou em 0,54% em fevereiro, acima dos 0,29% de janeiro. A aceleração foi puxada pelos grupos de educação e de alimentos, que ficaram acima da inflação, com altas nos preços de 5,93% e 1,09%, respectivamente.
 
Na educação, que teve o maior crescimento entre os nove grupos pesquisados, a alta reflete os reajustes do início do ano letivo. Destaque para as mensalidades de cursos regulares, que subiram 7,17%, e tiveram o maior impacto individual sobre o IPCA de fevereiro. 

Os alimentos também exerceram pressão no índice regional de Aracaju, mas desaceleraram na comparação com janeiro. A aceleração foi impulsionada pelas altas nos preços do feijão-carioca (78,46%), da batatainglesa (29,59%), entre outros.

Veja mais informações em https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/, o site da Agência de Notícias do IBGE. 

Fonte e foto: IBGE-SE


Economia
Com.: 0
Por Redação
11/03
15:35

ICMS: parcelamento excepcional de dívidas permanece aberto

A adesão ao modelo de quitação das dívidas pode ser requerida através de um banner específico no site da Secretaria de Estado da Fazenda

O programa especial de parcelamento de dívidas no Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) permanece aberto aos contribuintes com pendências tributárias. A partir das condições para negociação, débitos de até R$ 100 mil podem ser parceladas em até 24 meses. Valores superiores até o limite de R$ 500 mil podem ser pagos em até 36 meses e débitos acima de R$ 500 mil entram na faixa de parcelamento de até 47 meses. Incluídas na negociação serão as dívidas de ICMS declaradas espontaneamente ou relativas a auto de infração simplificado modelo II. 

A adesão ao modelo de quitação das dívidas pode ser requerida através de um banner específico no site da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), no endereço http://www.sefaz.se.gov.br, ou também seguindo os seguintes passos: no site da Sefaz, clicar no botão “Serviços”, para em seguida buscar “ICMS”, “Parcelamento” e assim entrar em “Parcelamento de ICMS”. 

Um ponto importante na legislação estadual em relação a programas especiais de parcelamento é que a falta de pagamento de três parcelas consecutivas determina o vencimento das parcelas futuras, provocando a exclusão automática do contribuinte do programa especial de quitação de dívidas, além de ocasionar a recomposição do saldo devedor aos valores originais.

Fonte: ASN
Foto: Marcos Rodrigues/ASN


Economia
Com.: 0
Por Redação
11/03
15:28

Repasse do FPE para Sergipe cresceu 3,7% em janeiro

Quando comparado com janeiro de 2018, o repasse assinalou expansão real de 16,3%

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), indicou que o repasse do Fundo de Participação dos Estados (FPE) para o estado de Sergipe, em janeiro deste ano, foi de R$ 309,6 milhões.

Em termos relativos, quando comparado com janeiro de 2018, o repasse assinalou expansão real de 16,3%, considerando o efeito da inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). No comparativo com o mês imediatamente anterior (dezembro/2018), houve expansão de 3,7% na transferência do recurso.

Repasse do FPM em Janeiro/2019

O repasse a todos os municípios sergipanos, através do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), chegou a aproximadamente os R$ 117,1 milhões, apontando ampliação real de 16,7%, em relação a janeiro de 2018. Em relação ao último mês do ano de 2018, houve queda de 34,4%.

Repasse do Fundeb em Janeiro/2019

O repasse do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB) ficou acima dos R$ 68 milhões, registrando retração real de 5,7%, em relação ao mesmo mês de 2018. No comparativo com o mês de dezembro do ano passado, notou-se expansão de 11,6% no repasse.

Fonte e elaboração do gráfico: NIE/FIES
Fonte do gráfico: STN


Economia
Com.: 0
Por Redação
11/03
15:20

Arrecadação federal em Sergipe ultrapassou R$ 520 milhões em janeiro

É o maior montante arrecadado para o mês, de acordo com a série histórica iniciada em 2000

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Receita Federal, verificou que a arrecadação de tributos federais no estado, no primeiro mês de 2019, chegou a pouco mais de R$ 527,7 milhões, sendo o maior montante arrecadado para o mês, de acordo com a série histórica iniciada em 2000.

Em termos relativos, a soma arrecadada assinalou retração de 5,9% em relação ao último mês de dezembro. No entanto, quando comparado com janeiro do ano passado, verificou-se alta de 20%. As variações são em termos reais, ou seja, consideram os efeitos da inflação no período, que são medidos pelo Índice Nacional de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA).

Detalhes da Arrecadação Federal de janeiro/2019

No mês analisado, a Receita Previdenciária foi a principal fonte de arrecadação no estado, somando pouco mais de R$ 300 milhões, compreendendo 56,9% do total recolhido aos cofres da União. Em seguida, o Imposto sobre a Renda (IR) figurou em segundo lugar, alcançando mais de R$ 100 milhões, abrangendo 19,3% do montante arrecadado.

A receita decorrente da Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (COFINS) e a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) apareceram como a terceira e quarta maior fonte de recolhimento. A COFINS reuniu R$ 46,5 milhões enquanto que a CSLL destinou R$ 25 milhões à União.

O Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) contribuiu com R$ 8,8 milhões, respondendo por 1,7% da arrecadação, no mês em análise.

Fonte e elaboração do gráfico: NIE/FIES
Fonte dos gráficos: Receita Federal do Brasil


Economia
Com.: 0
Por Redação
08/03
20:58

Belivaldo faz substituição temporária no comando da SEFAZ

O governador de Sergipe, Belivaldo Chagas, anunciou hoje no twitter que o executivo Ademário Alves,  que vinha respondendo pela Secretaria de Estado da Fazenda foi deslocado para a Superintendência-executiva da Secretaria Geral de Governo, onde irá atuar no acompanhamento da aplicação financeira do planejamento estratégico, que está sendo elaborado pelo governo para os próximos quatro anos.

Belivaldo anunciou que o gestor público Marcos Vinicius Nascimento, que atualmente ocupa o cargo de Superintendente Especial da Sefaz, assume interinamente a pasta por 30 dias.

“Ademario cumpriu com dedicação e comprometimento a sua missão à frente da Sefaz ao encontrar soluções que ajudaram no cumprimento das aplicações financeiras constitucionais do governo no exercício de 2018”, disse Chagas.



Economia
Com.: 1
Por Eugênio Nascimento
07/03
15:14

Setor de Serviços apresenta saldo positivo de empregos em janeiro

Resultado é fruto da diferença entre admissões e desligamentos no período

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados do Cadastro Geral de empregados e desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego, revelou que houve saldo negativo de 1.757 vagas de emprego com carteira assinada no Estado, em janeiro deste ano. O resultado é fruto da diferença entre admissões (6.682) e desligamentos (-8.439) no período.

Empregos por setor em janeiro/2019

Das oito atividades avaliadas pelo Boletim no mês analisado, duas apresentaram saldo de contratações maior que o de demissões. Os setores de Serviços e de Serviços Industriais de Utilidade Pública criaram 170 e 37 novas vagas de trabalho, respectivamente.  Os demais setores registraram saldos negativos.

Foi observado que na Indústria da Transformação houve redução de 880 postos de trabalho no geral, sendo que a fabricação de embalagens de vidro e a fabricação de estruturas metálicas apresentaram resultados positivos, totalizando 86 e 95 novas vagas, respectivamente, enquanto que a Fabricação de Álcool apresentou resultado negativo de -780 postos de trabalho. No Comércio o saldo de empregos também ficou negativo, com a retração de 615 postos de trabalho. Já a Agropecuária, houve redução de 264 empregos e a Construção Civil contabilizou saldo negativo de 184 postos de trabalho, entretanto, a construção de edifícios foi a atividade que mais contratou, contabilizando 107 vagas no total. A Extrativa Mineral totalizou (-15) postos de emprego. Por fim, seis vagas a menos foram registradas na Administração Pública.

Desempenho dos Municípios em janeiro/2019

Dentre os treze municípios sergipanos com mais de 30 mil habitantes a cidade de Estância assinalou a maior criação de empregos em janeiro deste ano, com a abertura de 127 postos de trabalho.

Fonte e elaboração do gráfico: NIE/FIES
Fonte do gráfico: Caged-MTE


Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
1 2 3 4 5 6 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos