20/02
00:40

Edvaldo e presidente do TJ/SE assinam termo de compartilhamento da fibra ótica em Aracaju

 Fibra ótica do TJ servirá para informatização das escolas, câmeras de segurança, prontuário eletrônico e desburocratização de processos na PMA 

“Toda grande jornada começa com um primeiro passo”. Com esta assertiva, parafraseando o filósofo Confúcio, o prefeito Edvaldo Nogueira destacou a importância do termo de compartilhamento da fibra ótica do Tribunal de Justiça de Sergipe firmado com a administração municipal para tornar Aracaju uma cidade inteligente. A efetivação da parceria ocorreu na manhã desta segunda-feira, 19, no Centro Administrativo, com a assinatura do convênio entre o prefeito e o presidente do TJ/SE, desembargador Cezário Siqueira Neto.

“Este ato é bastante significativo, pois prepara Aracaju para um grande avanço. Sem Tecnologia da Informação não dá pra pensar em cidade inteligente. Graças à fibra ótica do Tribunal de Justiça, que é bastante moderna e veloz, poderemos implantar projetos fundamentais para a melhoria da prestação dos serviços públicos municipais em diversas áreas, como Saúde, Educação, Segurança, Trânsito e na desburocratização da máquina pública”, afirmou o prefeito.

Foto: Marco Vieira/PMA
 


Política
Com.: 0
Por Kleber Santos
19/02
23:39

Estado investe mais de R$ 6,5 milhões no Hospital Regional de Itabaiana

Na reforma e compra de novos equipamentos foram investidos cerca de R$ 6,5 milhões. Para aquisição do tomógrafo de Itabaiana, o valor foi de aproximadamente R$ 1 milhão. Tudo com recursos próprios do Estado

O governador Jackson Barreto visitou, nesta segunda-feira (19), as instalações do Hospital Regional Dr. Pedro Garcia Moreno, em Itabaiana. A unidade está sendo ampliada e se prepara para receber um tomógrafo para o melhor atendimento à população da região. Foram investidos cerca de R$ 6,5 milhões na reforma e compra de novos equipamentos. Para aquisição do tomógrafo de Itabaiana, o valor foi de aproximadamente R$ 1 milhão. Tudo com recursos próprios do Estado.

“Aqui está sendo feita uma obra de ampliação do Hospital de Itabaiana, por meio de recursos próprios. Fruto de um esforço muito grande do governo do Estado e do compromisso que o governador Jackson Barreto tem para com a população pobre de Itabaiana e de todo o região. Porque este hospital não é só de Itabaiana. Ele é de todo o Agreste sergipano. Aliás, ele extrapola a região do Agreste, pois aqui recebe também o pessoal do Sertão. Nós esperamos, dentro de mais alguns dias, inaugurarmos a reforma do Hospital de Nossa Senhora da Glória, que vai passar a ter centro cirúrgico, tomografia, ampliação, maternidade e ortopedia. Então, damos as condições necessárias aos hospitais de Itabaiana e Nossa Senhora da Glória e assim também diminuímos a demanda no Huse”, disse Jackson.

Nesta casa de saúde, o governo do Estado também inaugurou, em 20 de junho de 2014, a Unidade Tratamento Intensivo Dr. Luciano Alves dos Santos e o novo Pronto Socorro. O investimento nas obras foi de R$ 6.403.671,97 milhões, em obras físicas e na aquisição de equipamentos. Destes, R$ 3.903.671,97 foram oriundos do Programa Sergipe Infraestrutura e R$ 2,5 milhões do Proinveste e de convênios assinados entre o governo do Estado com o governo federal.

Foto: Marcelle Cristinne/ASN
 


Política
Com.: 0
Por Kleber Santos
19/02
23:38

Maria diz que se mantém na oposição “sem fazer política do quanto pior melhor”

“Será que o povo de Sergipe nos elegeu para fazer a política do quanto pior, melhor? Certamente que não”. Com essa assertiva, a deputada estadual Maria Mendonça (PP) reafirmou hoje (19), em pronunciamento na Assembleia Legislativa, seu compromisso com o bloco de oposição ao governo Jackson Barreto (PMDB), “mas, sobretudo, com os interesses do povo sergipano que me elegeu como representante”.

 Na tribuna, a parlamentar recordou diversas demandas apresentadas por ela ao governo durante o ano passado, dentre elas, os problemas na assistência da oncologia e as péssimas condições estruturais das rodovias, mas que segundo Maria, não foram equacionadas em virtude da falta de planejamento.

 “Tentamos alertar o Executivo da necessidade de encarar os problemas e planejar a gestão, mas nossos apelos ainda não ecoaram o suficiente para sensibilizar a quem tem sobre si o dever constitucional por fazer”, lamentou a deputada Maria Mendonça, afirmando que “apesar da inércia Poder Público, manteremos o firme propósito de trabalhar em prol do sergipano diuturnamente”.


Política
Com.: 0
Por Kleber Santos
19/02
21:41

PPS adia definição de aliança e indicação para chapa majoritária

Reunida nesta segunda-feira, em Aracaju, a comissão executiva estadual do PPS decidiu adiar do próximo dia 23 para o mês de março (ainda sem data definida) o encontro que vai definir com quais partidos a agremiação se coligará para o pleito deste ano. Há clara preferência pelo grupamento em que se encontram os senadores Antônio Carlos Valadares (PSB) e Eduardo Amorim (PSDB) e o deputado federal André Moura (PSC). O PPS quer indicar um nome para a chapa majoritária.



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
19/02
14:33

Luciano Bispo recebe Jackson Barreto em Itabaiana e visita obras

O presidente da Assembleia Legislativa (ALESE), deputado estadual Luciano Bispo (PMDB), visitou na manhã desta segunda-feira, dia 19, às instalações do Hospital Regional Dr. Pedro Garcia Moreno, em Itabaiana, juntamente, com o governador Jackson Barreto e o secretário da Saúde, Almeida Lima.

De acordo com Luciano Bispo, o Governo de Sergipe vem realizando investimentos para ampliar a capacidade de atendimento e oferta de serviços, além de garantir mais resolutividade aos pacientes da região.

“O governo de Jackson Barreto e Belivaldo Chagas tem realizado grandes benefícios para os sergipanos, e para os itabaianenses não é diferente. Aqui temos investimentos que somam mais de 250 milhões que beneficiarão toda a população”, destacou o presidente da Alese.

Foto: Ascom/Governo

Com informações ANS
Por Agencia de Notícias Alese


Política
Com.: 0
Por Kleber Santos
19/02
11:39

HU-UFS convoca 195 aprovados em concurso da Ebserh

Foi publicado na edição desta segunda-feira, 19, do Diário Oficial da União, o chamamento de 195 aprovados no concurso público realizado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) para lotação no Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS), em Aracaju.

Os convocados - aprovados para as áreas médica, assistencial e administrativa - deverão comparecer ao HU-UFS na próxima quarta-feira, 21, conforme agendamento enviado por e-mail. Após a entrega de documentos e realização de exames específicos para cada cargo, aqueles que estiverem aptos terão um encontro no Auditório do HU-UFS, destinado ao conhecimento dos horários de trabalho; assinatura do contrato de trabalho e da Carteira de Trabalho e Previdência Social; e atividades de integração.

A ausência do candidato nas datas e horários definidos, ou a não apresentação de qualquer um dos documentos exigidos para a contratação, implicará na exclusão do candidato do presente concurso público.

Novos serviços

Para a superintendente do HU-UFS, Angela Silva, a convocação contemplará a abertura de novos serviços e reduzirá o déficit de pessoal. “O HU-UFS deverá ganhar uma força de trabalho de quase 200 pessoas, que serão instaladas, em sua maioria, nos prédios recentemente inaugurados. Esses convocados ajudarão a estabelecer novos serviços, a exemplo da hemodinâmica, e atuarão também na formação de equipes cirúrgicas”, afirma.

De acordo com ela, em novembro último, foram inaugurados o Anexo Hospitalar, incluindo o Centro de Diagnóstico e Imagem, e a reforma e ampliação da Ala Norte do Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS). “Após um investimento de cerca de R$ 8 milhões por parte do Ministério da Educação (MEC), o Anexo Hospitalar, quando estiver devidamente habilitado, com os serviços contratualizados e em pleno funcionamento, atenderá às áreas de Oncologia, Transplantes e Diagnósticos”, acrescenta.

Já a Ala Norte, que ocupa uma área de 400m², está destinada à complementação diagnóstica e à triagem neonatal.

Neste momento, foram 195 convocações. Em seguida, devem ser chamados os demais aprovados dentro do número de vagas.  



Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
19/02
10:15

Cientistas do HU/UFS comprovam: microcefalia por Zika tem fator genético

Com a participação de dois pesquisadores do Hospital Universitário da UFS, a descoberta explica por que nem todas as grávidas expostas ao vírus têm bebês com microcefalia


O vírus Zika pode causar um dano significativo ao cérebro do feto, de acordo com estudos dirigidos por investigadores de faculdades de medicina de todo o mundo. Diante da necessidade de responder a mais perguntas sobre microcefalia em mães infectadas, o gerente de Ensino e Pesquisa do Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS), Roque Pacheco, e a pediatra do HU-UFS, Ana Jovina Bispo, unidos a diversos pesquisadores do Brasil, fizeram uma descoberta sem precedentes: a maneira como o vírus causa a microcefalia no feto depende de fatores genéticos.

A pesquisa, liderada pela Universidade de São Paulo (USP), examinou 91 bebês de vários estados brasileiros, incluindo nove pares de gêmeos que foram essenciais para a descoberta. Dentre os gêmeos, dois pares – um deles é acompanhado pelo HU-UFS – eram meninas monozigóticas (gêmeas idênticas) e os demais, dizigóticos (gêmeos diferentes). “Sem os gêmeos, não podemos ver a forma como a síndrome congênita se apresenta diante de alguma determinação genética”, destaca Ana Jovina. Os pesquisadores notaram que todas as gêmeas idênticas tinham microcefalia; no caso dos gêmeos diferentes, por sua vez, apenas um par era concordante para a doença. Assim, reforçou-se a hipótese de que um componente genético aumenta o risco de desenvolver a síndrome.

Na conclusão da pesquisa, os cientistas conseguiram relacionar mais de 63 genes com expressões distintas em alguns bebês, gerando uma pré-disposição genética no feto que é posteriormente exposto ao vírus Zika. “Agora que sabemos que algums fetos têm um risco maior de adquirir a microcefalia se forem expostos ao vírus durante a gestação, podemos pensar em políticas públicas para grupos distintos, o que será muito útil no caso de decidir quem tem prioridade para tomar, por exemplo, uma futura vacina”, explica Roque Pacheco.

Publicação

O artigo científico resultante da pesquisa foi publicado no início deste mês de fevereiro no periódico Nature Communications, um dos mais prestigiosos do mundo.



Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
18/02
19:05

Contrato de trabalho X contrato de capital

Cezar Britto
Ex-presidente da OAB

Ainda tenho nos programas de rádio uma importante fonte de conhecimento e diversão. Antes que me acusem de ser um confesso dinossauro, esclareço que gosto de mesclar os diversos saberes quando se trata de colher o conhecimento, não desprezando quaisquer dos meios de comunicação ou mesmo o uso dos sentidos. Aliás, miscigenar as diversas formas de informação é, certamente, o melhor jeito de relativizar o efeito destrutivo causado pelo volúvel, facilmente manipulável e fértil mundo virtual. Não sou daqueles que entendem que a verdade pode ser obtida através do “caminho único”.

E foi exatamente a mensagem transmitida por um destes “colunistas que são detentores da verdade, sabem de tudo e opinam sobre todas as coisas” que confirmou em mim a necessidade da mistura, também pondo em dúvida a sinceridade da radiodifusão como fonte autentica de saber. É que ele, verborrágica e preconceituosamente, externava o seu rancor para com o Tribunal Superior do Trabalho, em razão deste órgão judicante ter convocado sessão pública para análise de um pacote de decisões sumuladas quando da anterior Consolidação das Lesões Trabalhistas. Vociferava o colunista que achava um absurdo o Poder Judiciário admitir a possibilidade de não aplicação de regras prejudiciais aos trabalhadores aos contratos de trabalho assinados segundo as normas da legislação anterior.

O jornalista praticava, ali, um verdadeiro atentado ao direito enquanto princípio fundamental e regulador democrático entre as pessoas e como estas se relacionam como aparelho estatal. Atentava ele contra uma regra extremamente importante para a preservação da segurança jurídica das pessoas, conquista da humanidade e elo comum em todos os ramos do direito. É que uma lei nova não pode atingir qualquer contrato assinado até a data da vigência do novo marco regulatório, sob pena de ferir aos constitucionais direitos adquiridos e ato jurídico perfeito (inciso XXXVI, art. 5º, CF). E não apenas o colunista feria de morte a Constituição Federal, demonstrava desconhecera imortal e atualíssima Lei de Introdução às Normas do Direito Brasileiro, quando aponta a impossibilidade de revogação de ato já consumado segundo a lei vigente ao tempo em se efetuou (§ 1 o , art. 6º, do Decreto-Lei 4.6574/42) e que já poderia ser exercido pelo empregado (§ 2 o , art. 6º, do Decreto-Lei 4.6574/42).

O grave não estava no direito de qualquer jornalista ou outra pessoa externar um pensamento, ainda que juridicamente equivocado. Eu sou daqueles que defende a liberdade de expressão enquanto direito democrático de primeira grandeza, ainda que o interlocutor discorde do meu livre pensar. O problema estava na sensação de que o jornalista tinha a clara consciência da falsidade de sua argumentação e, assim, verberava com ar professoral o seu preconceito explícito contra a classe trabalhadora, que, segundo ele, não era merecedora de qualquer proteção jurídica. Certamente defenderia a segurança jurídica dos contratos, caso eles fossem de natureza civil, comercial, financeira, empresarial ou de proteção ao capital privado.

Mas, infelizmente, o jornalista não está sozinho na descaracterização do Direito ao Trabalho como princípio fundamental inerente à dignidade da pessoa humana. Integra ele o velho grupo que compreende o ato de trabalhar como tarefa dedicada, histórica e sucessivamente, aos escravos, aos servos, aos trabalhadores e trabalhadoras que integram uma sociedade excludente e fundada na “certeza da supremacia de alguns nobres segmentos sociais e na força econômica de abastados senhores das riquezas e dos meios de comunicação”. Ainda pregam a “coisificação do trabalho” onde a palavra de ordem é “o empregador pagar menos para ganhar mais”.

Daí o porquê de se atacar o “contrato de trabalho” enquanto ato jurídico perfeito, firmado na segurança jurídica do direito adquirido às cláusulas benéficas pactuadas segundo a legislação então vigente. Também aí a razão de se atacar a proteção constitucional ao trabalhador, da recente aprovação da já apelidada Consolidação das Lesões Trabalhistas e da destruição de uma Justiça Trabalhista especializada no conflito capital-trabalho. Aliás, o que já se tentara em novembro de 1998, quando o então presidente Fernando Henrique Cardoso, assinando mais um termo de ajuste fiscal, fez constar o seu compromisso de implementar a política neoliberal, fundada na necessidade de flexibilizar a legislação trabalhista e extinguir, paulatinamente, a Justiçado Trabalho.

O que se pretende, através da opinião daquele porta-voz matinal, é que o direito brasileiro admita substituir o “contrato de trabalho” pelo “contrato de capital”. Neste, as cláusulas de proteção ao “direito de ter a propriedade das pessoas” prevalecerão sobre o “direito de ser pessoa humana”. E se o Capital vale mais do que o Trabalho enquanto cláusula contratual, não poderia a Justiça do Trabalho atrever-se a aplicar as regras constitucionais aos contratos vigentes quando da legislação anterior. Afinal, segundo eles, seria mais coerente que aprendêssemos a chamar este ramo do sistema judicial como Justiça do Capital e Tribunal Superior do Capital.


Colunas
Com.: 0
Por Kleber Santos
Primeira « Anterior « 1 2 3 4 5 6 7 8 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos