16/04
17:03

Prefeito Aracaju anuncia realização do Forró Caju

A realização do Forró Caju já tem data para começar. Este ano o evento será realizado em dois momentos: dos dias 22 a 24 e 28 a 30 de junho na Praça dos Mercados em Aracaju. O anúncio foi feito na manhã desta segunda-feira (16) na Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) pelo prefeito Edvaldo Nogueira ao lado do deputado federal André Moura (PSC-SE).

 

Os recursos para a festa foram obtidos através do trabalho de André Moura junto ao Ministério da Cultura. Serão R$ 4 milhões a serem investidos resgatando a tradição da cultura forrozeira, movimentando a economia local.

 

Outra novidade deste ano será mais um palco na Praça General Valadão, onde os forrozeiros terão dos dias 20 a 30 de junho para dançar e em mais 17 bairros com diversas atrações nos "arraiás" para alegrar as famílias aracajuanas.

 

Edvaldo não poupou agradecimentos a André Moura. "Se não houvesse a articulação dele, a festa não aconteceria. Se dependesse exclusivamente dos recursos da PMA não teríamos como realizar a festa. Sem a ajuda do Governo Federal, vindos por André, não retomaríamos o Forró Caju com a força e a estrutura a ser realizada. A ajuda dele é muito importante".

 

André Moura destacou: "Como bom nordestino valorizo nossa cultura e o Forró Caju é uma expressão de nossa identidade. Já dizia nosso saudoso Rogério, `Sergipe é o país do forró’, e temos de manter vivas nossas tradições. Além de tudo a festa é de fundamental importância para a economia local. Os bares, restaurantes e hotéis ficam lotados, ganha renda extra durante o período. Não tenho dúvidas de que será uma grande festa", assegurou.

 



Variedades
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
15/04
17:11

Um Brasil sem golpes e sem ladrões

José Lima Santana
Professor da UFS

O Brasil vive uma situação inusitada, talvez nunca vista antes em sua conturbada história política. Há, manifestamente, uma nítida divisão entre as pessoas, especialmente no que diz respeito aos defensores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de um lado, e aos seus detratores, do outro lado. Aliás, esta situação se arrasta desde que ele chegou à presidência da República, em 2002. Acirrou-se com a reeleição de Dilma, em 2014 e, mais ainda, com o processo de impeachment contra ela. Golpe para os petistas e outros segmentos, ou seja, para os chamados “mortadelas”. Um processo mais do normal para os ditos “coxinhas”. 

Em vários sentidos, a situação do país é muito grave. No fim do ano passado, um general que estava prestes a ir para a reserva disse o que um militar não poderia dizer, dando palpite, por sinal infeliz, em termos políticos, pregando uma intervenção militar. Um absurdo. Uma insanidade. Os regulamentos das Forças Armadas não permitem que os militares se pronunciem politicamente. Mas, como o general estava para vestir o pijama, ficou por isso mesmo até ele ir para casa. Nenhuma punição. Isto não foi bom para a democracia nem para o país. 

Depois, o próprio comandante do Exército, à véspera da decisão do Supremo Tribunal Federal acerca do habeas corpus impetrado pela defesa do ex-presidente, a fim de evitar a sua prisão, abriu a boca no mundo, como que a intimidar os ministros do STF. Uma lástima. Uma falta de respeito à democracia. Poucas foram as vozes erguidas contra o discurso ameaçador do general comandante. O ministro interino da Defesa colocou panos quentes, proferindo um discurso chinfrim, do tipo discurso de botequim. O presidente da República, desgastado politica e eticamente, titubeou. Ou melhor, silenciou. É o que ocorre quando não se tem um presidente com legitimação popular e com lisura pessoal. Parlamentares da situação tentaram minimizar a fala do comandante. Já alguns da oposição, criticaram-no. O ex-procurador-geral da República, também. Igualmente, a Anistia Internacional. 

Em sua inoportuna fala, o comandante do Exército disse: “Asseguro à Nação que o Exército Brasileiro julga compartilhar o anseio de todos os cidadãos de bem de repúdio à impunidade e de respeito à Constituição, à paz social e à Democracia, bem como se mantém atento às suas missões institucionais”. Para alguns, a fala cheirou a ameaça. Ameaça de emparedar o STF. Ameaça de uma possível reação golpista, caso o STF deferisse a pretensão da defesa de Lula. Ora, na verdade, o Exército e as outras duas Forças Armadas devem, sim, estar atentos à sua missão constitucional. Devem estar debaixo do manto constitucional e legal. As suas missões institucionais decorrem da Constituição Federal. E esta deve ser preservada e cumprida à risca por todos, inclusive pelos militares. Aliás, já se disse alhures que “o militar não é a cabeça da Pátria, mas, sim, o seu braço”. Braço que tem um limite.

Na democracia, todos estão adstritos ao ordenamento jurídico do país. Todos. Na democracia não há lugar para falastrões, fardados ou não. O povo brasileiro deve considerar e respeitar as suas Forças Armadas, que, em certos períodos da sua vida como Nação independente, souberam unir o país, propugnando pela integração do seu território. O Exército, por exemplo, tem as suas origens nas batalhas memoráveis dos Guararapes, na luta contra o invasor holandês. Ali não estavam apenas as bases do futuro Exército, mas, também, as bases do nosso nacionalismo. Uma ressalva: todo brasileiro enquanto cidadão tem o direito de livre manifestação do pensamento. No caso em tela, o comandante do Exército, que, tecnicamente, é tido como um bom comandante, não falou como cidadão, mas, sim, falou politicamente como comandante do Exército, o que lhe é vedado. Ele sabe disso. Nós também o sabemos.

O que não devem ser acatadas são ações ou falas que tenham em vista emparedar autoridades ou instituições democráticas. Jamais. Não precisamos de mais um golpe militar. Nem sequer de ameaças. De quaisquer tipos. Não! Na democracia cada instituição tem as suas funções. Que cada uma as possa cumprir como determina a Constituição. Nem mais, nem menos. 

Por outro lado, com a prisão de Lula, injusta para os seus aliados, mas, justa na visão dos que lhe são contrários, o que importa mesmo é que as provas constantes do processo que o condenou sejam robustas, que possam ter força de validade para a sua condenação. Do contrário, seria uma farsa. E, mais do que isto, espera-se que todos os outros políticos que estão sendo investigados também venham a ser condenados, caso as provas igualmente sejam robustas. Precisamos limpar o país dos seus ladrões de colarinho branco. Chega de políticos desonestos, de corruptos e de corruptores (estes do empresariado), que passaram a vida se locupletando dos recursos do povo, tirando deste o direito a obras e serviços que lhe são necessários para a afirmação, do ponto de vista material, da dignidade da pessoa humana. 

O momento que o Brasil vive é muito ruim. “Nunca antes na história deste país” os cofres públicos foram tão arrombados. Ou, ao menos, nunca antes tantas roubalheiras foram descobertas. Há bandidos demais no país. Nos morros, no asfalto, nas planícies e nos planaltos. Vivemos cercados por ladrões. Que cada um pague, e pague mesmo, pelos seus atos desonestos. Todos sem exceção. Não basta prender um, caso haja mesmo motivo para tanto. Tem que prender todos que achincalharam o povo brasileiro. 

Não conheço de perto o processo que levou Lula à cadeia. Nada sei da extensão e profundidade das provas contra ele. Não conheço os processos e os inquéritos em tramitação contra muitos outros “peixes graúdos” de vários partidos políticos. O que sei é o que tenho ouvido, visto e lido através da imprensa. Não posso, pois, fazer um juízo de valor. Apenas espero que não se faça corpo mole ao fazer valer a lei para todos indistintamente. Para TODOS. 
Não podemos mais conviver com bandidos travestidos de homens públicos ou de empresários, nas três esferas federadas. Na democracia não deve haver lugar para assaltantes do poder, nem para assaltantes dos cofres públicos. 

Queremos um Brasil sem golpes e sem ladrões. Um Brasil sem injustiça e sem impunidade. Sem corruptos e sem corruptores. Um Brasil que, como disse o presidente da Província de Sergipe, José Martina Fontes, em 1º de março de 1878, dirigindo-se à Assembleia Legislativa Provincial, tenha “a Lei por guia, o Direito como princípio e a Justiça por fim”. 

Para tanto, é preciso que possamos dar vazão às palavras do jurista alemão Rudolph von Ihering (1818-1892): “O fim do Direito é a paz, o meio de atingi-lo é a luta. Enquanto o Direito tiver de contar com as agressões partidas dos arraiais da injustiça – e isso acontecerá enquanto o mundo for mundo – não poderá prescindir da luta dos povos, dos governos, das classes sociais, dos indivíduos”. 

A luta é de todos nós. Lutemos, pois. 


Coluna José Lima
Com.: 0
Por Kleber Santos
15/04
16:56

Renda média caiu em 2017 e mais 1,5 milhão de pessoas ingressaram na situação de miséria

Ricardo Lacerda*
Professor da Universidade Federal de Sergipe

A continuidade do enfraquecimento do mercado de trabalho em 2017, com a queda do emprego formal e o incremento de vínculos precários, impactou os rendimentos da população; a renda média do brasileiro caiu e a miséria aumentou. 

O IBGE publicou na semana passada os resultados de 2017 da Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílio Contínua- PNADC referentes aos rendimentos da população. A pesquisa mostrou, entre outras coisas, que a renda entre os mais pobres caiu bem mais do que entre as pessoas mais ricas. 

Em termos regionais, o Nordeste e o Sudeste foram as áreas mais atingidas pela crise no mercado de trabalho; a primeira região por ter sido a única em que o contingente de pessoas que obtinham rendimento com trabalho caiu na comparação com o ano anterior; a segunda pelos efeitos mais acentuados da precarização dos vínculos de trabalho, com a substituição do emprego formal por formas precárias de inserção no mercado de trabalho, que fizeram com que fosse a única região cujos rendimentos médios das pessoas que estavam ocupadas tivessem recuado. Nordeste e Sudeste também foram as regiões em que as quedas do rendimento do trabalho das pessoas de rendas mais baixas foram mais acentuadas do que a média do país. 

A queda de renda nos estratos de mais baixos rendimentos provocou uma nova leva de pessoas que ficaram abaixo da linha demarcatória de pobreza extrema. Segundo estimativa da empresa de consultoria LCA, mais 1,5 milhão de pessoas no Brasil engrossaram o contingente de pessoas em situação de pobreza extrema. 

Ocupação e rendimentos
Em 2017, trezentos e dez mil pessoas deixaram de ter rendimentos do trabalho no Brasil. O número de pessoas que obtiveram rendimento do trabalho registrou queda acentuada no Nordeste, incremento residual no Sudeste e Sul e aumentos um pouco mais expressivos no Centro-Oeste e Norte. Enquanto no Nordeste o contingente de pessoas com rendimento do trabalho se retraiu em 448 mil pessoas, a região Sudeste registrou aumento em 4 mil pessoas e a região Sul, em 8 mil pessoas; o Norte agregou mais 20 mil pessoas com rendimentos do trabalho e o Centro-Oeste, mais 107 mil pessoas.

O rendimento médio real mensal do trabalho no Brasil, em 2017, se retraiu 1,4%, passando de R$ 2.268,00, no ano anterior, para R$ 2.237,00 (Ver Gráfico 1).  A região Nordeste manteve-se como a de menor rendimento médio (70,2% da média nacional), enquanto a região Sul (114,7% da média nacional) substituiu a região Sudeste como a de rendimento de trabalho mais elevado.

Segunda a pesquisa, o Sudeste foi a única região que registrou queda do rendimento médio do trabalho e também da massa de rendimento. O Sudeste apresentou, em 2017, queda do rendimento mensal em todas as classes de percentual de rendimento, retrações que foram mais acentuadas nos estratos de renda extremos, os mais baixos e os mais altos, e menos acentuadas nos estratos intermediários. O comportamento dos rendimentos da região Sudeste divergiu de todas as demais regiões brasileiras, cujas quedas se concentraram nas classes de percentuais de renda mais baixos.




Pobreza extrema
A partir dos dados da PNADC, a consultoria LCA estimou que o número de brasileiros que se encontram abaixo da linha da pobreza extrema aumentou 11,2% em 2017, adotando-se a linha de corte do Banco Mundial para países de nível médio-alto desenvolvimento de US$ 1,90 de renda domiciliar per capita por dia, corrigida pela paridade de poder de compra. Mais um milhão, quatrocentos e noventa mil brasileiros passaram a ter rendimentos inferior a esse limite. Aumento tão expressivo do contingente de pessoas nessa situação, quando o rendimento médio real de todas as fontes declinou tão somente 0,6%, reflete principalmente a queda muito mais acentuada dos rendimentos das faixas mais pobres da população. 

Em termos regionais, os maiores contingentes de pessoas que ingressaram na pobreza extrema em 2017 residiam no Nordeste (mais 800 mil pessoas) e no Sudeste (mais 400 mil pessoas), mas em todas as regiões a pobreza extrema se expandiu (Ver Gráfico 2).


*Assessor Econômico do Governo do Estado de Sergipe


Coluna Ricardo Lacerda
Com.: 0
Por Kleber Santos
15/04
16:01

Coluna Primeira Mão

É verdade.

Parece mentira. Mas é verdade. A Comissão Estadual da Verdade não chegará a lugar nenhum. Há indícios de que a coisa desandou de vez e já está em discussão a entrega dos documentos recebidos para instituições públicas.

Esquerdizando

Não deixou de chamar a atenção de políticos e de analistas políticos a troca de partido feita pelo deputado estadual Georgeo Passos. Rompeu com a tradição política familiar mais conservadora e foi procurar abrigo na Rede, um partido com jeito de esquerda.

Situação ruim

Não tem santo que ajude os deputados Augusto Bezerra e Paulinho da Varzinhas, nos processos a que respondem na Justiça por causa do mal uso das verbas de subvenção da Assembléia Legislativa. As provas contra eles são demasiado robustas. Aliás, foi isso o que falou a procuradora federal quando das denúncias.

Dinheiro em casa

Políticos sergipanos de todas as esferas do poder têm o hábito de guardar dinheiro em casa ou no apartamento. O dinheiro é colocado em pacotes e malas escondidas embaixo da cama, dentro e/ou em cima de guarda roupas e ainda entre a lage e o telhado da casa. É assim no interior e na capital.

Fake News

Falar sobre "fake news" (notícias falsas) se tornou parte do cotidiano atual. Tem ficado complicado compartilhar qualquer coisa no pântano das redes sociais. Também existem notícias falsas nas relações presenciais. O problema maior das "fake news" é que elas se tornaram obra de grupos profissionalizados.

Prescrição

Com a farra de prescrição de processos judiciais ( Romero Jucá, José Serra, FHC,etc.) divulgadas na semana que passou, as datas de prescrição passam a ser mais importantes do que as penas e o tempo de prisão. Os promotores se esquecem de pedir aos juízes para decidir e os juízes e os ministros não se lembram de fazer o seu trabalho. Um tipo de impunidade decore desses casos de prescrição.

Em Aracaju, é pior

Acertada a decisão de juíza estadual de proibir que ônibus da Copertalse transitem, superlotados de passageiros, pelo interior do estado. Agora alguém precisa avisar a magistrada que a superlotação dos ônibus de Aracaju é muito pior.

Obras inacabadas

Inaugurar obras inacabadas é a coisa mais corrente no Brasil, de norte a sul e de leste a oeste. Foi errado. Mas não é o caso de demitir o secretário estadual da Saúde, que parece estar fazendo um ótimo à frente dessa pasta problemática. Ademais, ele já prometeu entregar tudo pronto no dia 20.

Insegurança

Alguma coisa precisa ser feita em relação aos serviços de segurança prestados às escolas publicas. Será que esses profissionais são realmente qualificados? A Polícia Federal precisa fiscalizar melhor o treinamento dados a esses homens da segurança. Quando criminosos invadem escolas públicas, tudo parece um passeio. Na rede privada de escolas, isso é raríssimo. Esse último caso ocorrido em Lagarto deve servir como alerta.

Prefeitura devendo

A Prefeitura de Capela ainda não pagou Festa de São Pedro do ano passado. Mesmo depois de 10 meses e a beira de começar outro São Pedro muitos ainda não receberam pelos serviços prestados à época pela prefeitura. A prefeita Silvani Sukita não faz o pagamento ao pessoal dizendo que não tem recursos, porém já fez festa em janeiro com bandas, ja anunciou em seu instagram atraçoes para esse ano além de ter feito uma super festa para seu marido o pré candidato Sukita e os que prestaram serviços ainda não receberam

Quem matou

Sem resultados até agora, as investigações para saber quem matou o capitão do Pelotão da Caatinga de Sergipe. O caso da execução da vereadora Marielle Franco, no Rio de Janeiro, é diferente. As autoridades parecem ter resultados, mas não podem publicá-los.

Sob ameaça

Os "bonecos de Olinda" do ex-governador Jackson Barreto estão ameaçados de pichação e é por isso que tem uma viatura policial parada junto ao monumento. Mas não se trata de pichação de vândalos, mas de pichação política de seus adversários.

Janelaço

Quem melhor se serviu da janela para troca de partidos? Quais os nomes realmente de pesos que foram para essa ou aquela liderança? Tem políticos que estão dizendo que é preciso fazer a distinção entre quantidade e qualidade nas perdas e ganhos de políticos. Faz todo o sentido.

Balcão de negócios

A janela para troca de partidos terminou e, do mesmo modo que no Brasil inteiro, aqui também foi chamada de "balcão de negócios". Funcionou sobretudo o cálculo econômico. Mas houve exceções a esse tipo de comportamento. Fala-se que na esfera nacional tinha partido comprado adesão por R$ 2 milhões.

Apareceu

Em Nossa Senhora Aparecida, João Vitor, filho da vice-prefeita, trabalha numa fábrica e é CC da Prefeitura, com R$ 1.415 de salário. Dia longo o desse rapaz.

Ainda o IPTU

O ex-prefeito João Alves Filho aumentou o valor do IPTU em 30%. O atual prefeito Edvaldo Nogueira, durante a sua campanha e depois, declarou que sabia governar sem aumentar impostos e que iria abolir o tal aumento exorbitante. A justiça disse que ele não fez o que prometeu. O que ele está esperando para cumprir sua palavra? Uma revolta dos contribuintes enganados?

Riachão do Dantas

Ao advogado Carlos Augusto Guimarães Pinto Júnior protocolou na Câmara de Riachão do Dantas pedido de impeachment da prefeita Gerana Costa por improbidade administrativa e prevaricação. Ela teria criado cargos sem a aprovação da Câmara, não repassou no duodécimo dos vereadores e ainda há um caso de condenação de seu marido, Laelson, que teria que devolver ao erário público R$ 700 mil, ela foi notificada como gestora pública e não executou.

Nada a perder

Está sendo exibido em cinemas de Aracaju filme sobre a vida do empresário da fé Edir Macedo. O filme não explica como conseguiu ganhar tanto dinheiro a ponto de tornar o seu negócio numa empresa multinacional. Ele é descrito como vítima de perseguição da Igreja Católica, fazedor de “milagres”, compra um canal de TV e, ajudado por ex-presidente Fernando Collor, consegue a sua concessão no seu último dia de governo.

Volta às aulas na UFS

Nesta segunda-feira, 16, os cerca de 30 mil alunos da Universidade Federal de Sergipe (UFS) voltam às aulas em todos os campi da instituição de ensino (em Aracaju, São Cristóvão, Laranjeiras, Itabaiana, Lagarto e Sertão)

Banco dos réus

Na quinta-feira passada, o vereador Cabo Amintas esteve sentado no banco dos réus do Fórum Gumercindo Bessa acusado com mais alguém de tentativa de homicídio, ocorrida há mais de uma década. Foi condenado, mas o crime já prescreveu.


Coluna Eugênio Nascimento
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
14/04
11:48

Denúncia atinge pai e irmão de novo secretário de Estado

Desde ontem à noite, sexta-feira, 13, circula na internet informação que atinge familiares do novo secretário da Fazenda, Adelmário Alves. A nota pelo zap encaminhada ao blog é a seguinte:

Valdemar Gomes Alves, pai do atual Secretário de Estado da Fazenda, Adelmário Gomes, responde ou respondeu a diversos processos judiciais, entre os quais o Processo N° 200865000417, ajuizado pelo Ministério Público de Sergipe numa AÇÃO DE EXECUÇÃO DE TÍTULO EXECUTIVO EXTRAJUDICIAL em que o executado quando exerceu o cargo de Vereador municipal de Carira/SE no período compreendido entre 1992-1996, foi condenado pelo Tribunal de Contas, através do processo TC - 076.951/95 e TC - 073.229/94, à devolução da quantia de R$ 232.329,50 (duzentos e trinta e dois mil e trezentos e vinte e nove reais e cinquenta centavos ). 

Da mesma forma o seu irmão LAMARQUE DE JESUS ALVES, responde ou respondeu a diversos processos judiciais, entre os quais o Processo N° 201411201892 ajuizado pela EMURB por construção de imóvel irregular em Aracaju e o Processo N° 201612000913 ajuizado pelo Município de Aracaju pelo não pagamento de Imposto sobre Propriedade Predial e Territorial Urbana – IPTU no valor de R$ 13.782,98 (treze mil setecentos e oitenta e dois reais e noventa e oito centavos).

Não há acusações contra Adelmário.


Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
11/04
21:37

Belivaldo discute linhas de transmissão de energia com representantes do Banco do Nordeste e da Lest


Objetivo da visita foi a de pedir celeridade no processo de construção da obra, de cerca de R$ 220 milhões, e que vai gerar 640 empregos no estado

O governador Belivaldo Chagas e o diretor-presidente da Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema), Francisco Dantas, receberam nesta quarta-feira (11), a visita de representantes das Linhas de Energia do Sertão Transmissora (Lest) e do Banco do Nordeste, com o objetivo de falar sobre o projeto o qual a empresa pretende implantar no estado ainda este ano.

De acordo com o representante da Lest, Vagner Alexandre Serrato, o projeto de transmissão de energia abrangerá 200 quilômetros de extensão entre os estados de Sergipe, Alagoas e Pernambuco, sendo 160 deles instalados em território sergipano, o que gerará cerca de 640 empregos no estado.

“O nosso objetivo hoje foi o de tratar da obtenção da licença de instalação e de firmar compromissos em relação aos prazos de emissão da LP e LI, que estão previstos para os meses de junho e outubro deste ano, respectivamente. A partir da emissão da licença, serão 36 meses de construção e um total de 30 anos de concessão para atuação”, afirmou.

Os investimentos em Sergipe, que estão sendo financiados pelo Banco do Nordeste, vão girar em torno de R$ 220 milhões e, segundo o superintendente da instituição, Antônio César Santana, serão de extrema importância para o desenvolvimento do estado.

“Foi uma reunião muito positiva, onde tivemos apoio do governo no sentido de dar rapidez necessária ao processo. O Banco do Nordeste está financiamento o grupo a qual a Lest faz parte, então tivemos um apoio fundamental do governo no sentido de que todo o licenciamento receba uma celeridade que o caso requer”, ressaltou.

Belivaldo ouviu as propostas, ao lado do diretor-presidente da Adema, bem como obteve mais conhecimento a respeito do projeto, avaliando de forma positiva a reunião e o apoio aos projetos que visem o desenvolvimento do estado.  “Estamos aqui para colaborar no que for possível, para que o projeto seja implantado aqui em Sergipe de forma adequada, dentro da legislação e promovendo mais desenvolvimento ao nosso estado”, complementou.

Foto: Victor Ribeiro/ASN


Política
Com.: 0
Por Kleber Santos
11/04
21:35

Tribunal de Contas vai auditar Processo Seletivo na área da Saúde


?O Tribunal de Contas do Estado (TCE/SE) fará uma auditoria especial no Processo Seletivo Simplificado (PSS) lançado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde, para a contratação temporária de 1997 profissionais de nível superior, médio e técnico, além da formação de cadastro de reserva.

O pedido de realização da auditoria especial foi provocado pela equipe técnica da 3ª Coordenadoria de Controle e Inspeção (CCI) e autorizado pelo conselheiro Luiz Augusto Ribeiro, que é relator dos processos da área de controle da qual faz parte a Saúde estadual.

Em requerimento assinado por seis analistas de controle externo II - Área de Auditoria Governamental, é destacada a crise financeira vivenciada pelo Estado, bem como o comprometimento de 47,65% da sua receita corrente líquida em despesa com pessoal, o que, em tese, pode constituir fator impeditivo às futuras contratações, com as exceções legalmente estabelecidas.

Na diligência encaminhada à Secretaria de Estado da Saúde, o Tribunal solicita toda a documentação que deu suporte ao Processo Seletivo efetivado através do Edital nº 01/2018, a exemplo do parecer jurídico, justificativa e demais peças pertinentes ao procedimento de contratação.


Política
Com.: 0
Por Kleber Santos
11/04
21:33

Hospital Santa Isabel terá 30 dias para quitar pendência do aumento retroativo salarial


O Hospital Santa Isabel terá prazo de 30 dias para fazer um levantamento financeiro a fim de quitar a pendência retroativa concernente ao aumento salarial formalizado na Convenção Coletiva junto ao Sindicato dos Hospitais e Clínicas do Estado de Sergipe (Sindhose). A decisão foi fruto do pedido do próprio procurador do hospital, Thiago Tavares Cabral, que pediu este prazo durante a audiência mediada por Nilson Barreto Socorro, da Superintendência Regional do Trabalho (SRT), com a direção do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa), na manhã desta quarta-feira, 11, na sede da SRT.

Durante a mediação, o Sintasa cobrou ainda a formalização do Acordo Coletivo 2017/2018, que mesmo depois de mediação da SRT no final do ano passado, ainda não foi finalizada. Na ocasião, a direção do hospital teria se comprometido a continuar as negociações diretas para o fechamento do acordo, mas não respondeu dois ofícios do sindicato cobrando uma reunião para finalizar a confecção da norma coletiva. Daí, a necessidade do auxílio da SRT para a atual audiência.

“O Hospital não só não formalizou o Acordo Coletivo de Trabalho da data-base 2017-2018 como também não vem cumprindo integralmente a Convenção Coletiva de Trabalho. Inclusive, com registro de passivo decorrente da retroatividade da norma coletiva a data-base, 1º de junho”, explica o presidente do Sintasa, Augusto Couto.

Participaram ainda da mediação, a tesoureira do Sintasa, Maria de Lourdes, e o advogado do sindicato, Adalício Morbeck.


Variedades
Com.: 0
Por Kleber Santos
Primeira « Anterior « 1 2 3 4 5 6 7 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos