08/03
08:22

NOVO CAMPUS DA UFS -- “Há disputa silenciosa em Sergipe”

A maioria dos membros das bancadas federal e estadual atua abertamente na defesa da instalação de mais um novo campus da Universidade Federal de Sergipe no interior do Estado. Há uma clara preferência deles pelo município de Nossa Senhora da Glória e esse seria o Campus do Sertão.

Para conseguir isso em Brasília, a briga deve ser duradoura e permanente, principalmente agora que foi anunciado um corte no Orçamento Geral da União da ordem de R$ 50 bilhões. Se os políticos esmorecerem, Sergipe pode não atingir o seu objetivo. Mas é  bom lembrar que estão na disputa também os municípios de Propriá e Estância.

A proposta inicial da UFS, encaminhada pelo reitor Josué Modesto, contemplava cinco municípios e dois deles – Itabaiana e Lagarto já foram beneficiados.
 


Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
07/03
08:55

Exame de Ordem- Sergipe se destaca com aprovação superior à taxa média nacional

Com taxa de aprovação de 30,6%, o Estado de Sergipe se destaca no cenário nacional entre os maiores índices de aprovação verificados na primeira fase do último Exame de Ordem, aplicado em nível nacional de forma unificada pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Dados da Fundação Getúlio Vargas revelam que a média nacional se configura em 22% em aprovação no Exame de Ordem.

Para o presidente da OAB/SE, Carlos Augusto Monteiro Nascimento, o desempenho dos candidatos sinaliza para a boa qualidade do ensino jurídico no Estado assegurado pelas sete instituições de ensino superior que ofertam o Curso de Direito em Sergipe. Carlos Augusto reconhece que o Exame de Ordem é o único instrumento de aferição do ensino jurídico, que se traduz como mecanismo para colocar os mais eficientes advogados no mercado jurídico brasileiro.

Pesquisa do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) detecta que o Brasil, com a oferta de 1.128 Cursos de Direito, é o país que apresenta o maior número de cursos jurídicos do mundo. Excetuando o Brasil, em todo o planeta são 1.100 cursos de Direito. Os Estados Unidos, por exemplo, ofertam 180 cursos de Direito, número restrito, no Brasil, ao Estado de São Paulo. A Bahia oferta cerca de 56 cursos e Sergipe sete. No Brasil constam 720 mil advogados, mas se não fosse o Exame de Ordem para qualificar o exercício profissional, seriam nada menos que 3 milhões de advogados atuando no mercado brasileiro.

Conforme pesquisa realizada na primeira fase do Exame de Ordem pela Fundação Getúlio Vargas, a aplicação do Exame de Ordem como critério para habilitar o advogado é aprovado por 83% dos bacharéis consultados. A pesquisa indica que os bacharéis consideram o Exame de Ordem importante fase para manter o bom nível da advocacia no Brasil. A aplicação da prova de forma unificada em data e conteúdo nos Estados brasileiros foi aprovada por 86% dos consultados.

Na pesquisa, a Fundação Getúlio Vargas ouviu 1.500 bacharéis em todo o país, distribuídos proporcionalmente, levando-se em consideração o número de inscritos em cada Estado. Entre os pesquisados, 80% revelam que já tinham realizado o Exame por mais de uma vez. Na pesquisa, a Fundação Getúlio Vargas constatou que 57% dos consultados creditam à baixa qualidade do ensino jurídico oferecido pelas instituições de ensino superior no país e à falta de preparo dos próprios bacharéis, que se submetem à prova, o elevado índice de reprovação no Exame de Ordem. De cada três entrevistados, um acredita que o motivo do pequeno nível de aprovação é o baixo nível de ensino nas faculdades. A Fundação Getúlio Vargas revela que um número significativo de faculdades não consegue ultrapassar o percentual de 5% de aprovação.

Matéria veiculada pela TV Sergipe na quarta-feira também revela satisfação de bacharéis e alunos do Curso de Direito com a aplicação do Exame de Ordem. Quando entrevistados pela equipe de reportagem da emissora de TV, os bacharéis e estudantes não esconderam os esforços que fazem dedicando-se aos estudos em busca da aprovação. Exemplo de Gustavo Costa, que, embora reprovado, acredita que o Exame de Ordem é um mecanismo eficaz para qualificar a advocacia no país. Ele defende que o Exame de Ordem se torne modelo para ser instituído nos demais cursos de nível superior como prova aplicada antes de habilitar o profissional para o mercado de trabalho. (Da assessoria)



Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
06/03
10:22

OS IRMÃOS AMORIM - "De grandes aliados a maleditos”

No momento em que mais precisaram, as estrelas do  PT correram atrás dos irmãos Amorim (Edvan e Eduardo), militantes “joãozistas” na política, e lhes propôs aliança. O bem sucedido acordo político levou petistas e sociais-cristãos à disputa das eleições 2010 unidos. Eduardo, numa campanha avaliada como muito cara pela oposição e situação, disputou o Senado e foi mais votado que o governador Marcelo Déda (PT), que disputou a reeleição.

Eleitoralmente, bem na frente das demais estrelas da coligação, inclusive o senador Antônio Carlos Valadares (PSB), os dois irmãos passaram a ter pensamentos bem mais na frente que as suas capacidades de visão e a atuarem de forma a antecipar a corrida de 2014, quando haverá a sucessão do governador Déda. Passaram, então, de amigos do peito, queridões, a principais opositores do grupo a que estão ligados.


As ações dos irmãos Amorim, já de olho em 2014, e as reações dos petistas fizeram dos “bons companheiros”  principais inimigos eleitorais, já que ninguém das esquerdas, os tradicionais aliados do PT, aposta ou acredita que a oposição, liderada pelo ex-governador João Alves Filho (DEM) vai ressurgir das cinzas agora. Os Amorim viraram a maior ameaça aos sonhos dos governistas, que os fizeram fortes e hoje temem até mesmo que Eduardo anuncie que está lutando para construir o Hospital do Câncer.

Na verdade, a relação de desconfiança sempre existiu entre Valadares, Jackson e Déda em relação aos Amorim, apontados como os mais novos ricos mais bem sucedidos  do Estado na política. Eles reúnem em torno de si dezenas de empresários, uma federação de partidos e o sonho de muita gente que adora ver o “empreendedorismo” funcionar na política. Muita gente os avalia como “endinheirados” e donos de um projeto político moderno, capaz de unir direita, esquerda e outros bichos mais. Mas há quem entenda que “os Amorim só pensam nos Amorim”.



Política
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
05/03
20:00

Confiança e River perdem, mas continuam líderes

Depois da sétima rodada do Campeonato Sergipano, o Confiança e o River Plate continuam na liderança do grupo A e B, respectivamente, apesar de perderem. O Confiança encarou o Socorrense, no Welligthon Elias, e perdeu por 1 a 0, com gol de Joabe. Por sua vez, o River foi sucumbido pelo América, por 2 a 1, no Fernando França, em Carmópolis. Rivan e Roger marcaram para os vencedores, e Rafael Freitas descontou para os anfitriões.

Quem se deu bem na rodada foi o Olímpico que aplicou uma goleada de 4 a 0, diante do Guarany, no Souzão, em Itabaianinha. Fio, Alex, Vaner e Cleriston fizeram os tentos. Em Estância, o Estanciano ficou no empate com o São Domingos, em 1 a 1. O time da casa marcou com Shalom e Romário anotou para os visitantes.  

Resultados
Socorrense 1x0 Confiança
Sergipe 1x1 Itabaiana
River Plate 1x2 América
Olímpico 4x0 Guarany
Estanciano 1x1 São Domingos

Próxima rodada
09/03 - Qua 21:00 - Confiança X River Plate (Lourival Baptista, em Aracaju)
10/03 - Qui 20:30 - Itabaiana X Olímpico (Presidente Médici, em Itabaiana)
10/03 - Qui 15:15 - América X Estanciano (Durval Feitosa, em Própria)
10/03 - Qui 15:15 - Guarany X Socorrense (Caio Feitosa, em P. da Folha)
10/03 - Qui 15:15 - São Domingos X Sergipe (Arnaldo Pereira, em S. Domingos)

CLASSIFICAÇÃO


Grupo A

Times

PG

J

V

E

D

GP

GC

SG

01

Confiança

11

07

03

02

02

11

08

03

02

Itabaiana

10

07

02

04

01

07

05

02

03

Guarany

09

07

02

03

02

07

10

-03

04

América

09

07

03

00

04

11

14

-03

05

São Domingos

08

06

02

02

02

06

05

01

 

Grupo B

Times

PG

J

V

E

D

GP

GC

SG

01

River Plate

13

06

04

01

01

11

05

06

02

Sergipe

09

07

02

03

02

07

08

-01

03

Olímpico

08

07

02

02

03

08

08

00

04

Socorrense

08

07

02

02

03

09

12

-03

05

Estanciano

06

07

01

03

03

07

09

-02

                     

 

 



Esportes
Com.: 0
Por Kleber Santos
05/03
19:58

Sergipe empata com o Itabaiana, mas mantém vice-liderança

O clássico do sábado de carnaval terminou empatado. O Sergipe ficou em igualdade com o Itabaiana, em 1 a 1, no Batistão, pela sétima rodada do Campeonato Sergipano. O Tricolor da Serra marcou com Capela, e o time alvirrubro empatou com Rafael Grampola. Com o resultado, o Sergipe permanece na segunda colocação do grupo B, com 9 pontos, quatro a menos do que o River Plate, com 13. O Itabaiana se manteve na vice-liderançado grupo A, com 10 pontos, perdendo apenas para o Confiança, com 11.

Na avaliação do técnico Narciso, o time não fez uma primeira etapa boa. “O Itabaiana poderia ter vencido o jogo no primeiro tempo, mas o Sergipe voltou melhor no segundo tempo, conseguiu diminuir os espaços, o que facilitou para todo mundo”.

O treinador comentou sobre a oportunidade perdida pelo atacante Rafael Grampola, na cara do gol de Érico. “Mesmo sendo pressionado, quando aparecer uma oportunidade, time grande tem que marcar”, ressaltou.

O camisa 9 do Sergipe reconheceu que perdeu o gol por excesso de confiança. “Isso acontece no futebol. No primeiro tempo, não tive a felicidade de marcar, mas graças a Deus consegui aproveitar o lance no segundo tempo e empatar a partida”, disse Grampola.


Mudança

Sobre a partida, o time alvirrubro entrou com o volante Rogério na vaga de Gilberto, suspenso pelo terceiro cartão amarelo na rodada anterior. No intervalo do tempo técnico, Narciso mexeu no meio de campo, saiu o volante Michel e entrou Dênisson. Mesmo assim, o time recebeu um gol nos acréscimo do primeiro tempo, com Capela. No segundo tempo, o time colorado voltou melhor e empatou no início da partida, aos 7min, com o atacante Rafael Grampola, que recebeu uma assistência do lateral esquerdo Fábio. Na etapa complementar, ainda entraram em campo, Renam na vaga de Wesley; e Magno no lugar de Eanes.

Levaram cartão amarelo Grampola e Renam para o Sergipe, enquanto que Júlio César e Mica foram advertidos pelo lado do Itabaiana.

Os jogadores do Sergipe receberam folga neste domingo e retornarão na segunda-feira à tarde, no João Hora. A próxima partida acontece na quinta-feira, às 15h15, contra o time do São Domingos, no Arnaldo Pereira. No mesmo dia, às 20h30, o Itabaiana encara o Olímpico, no Médici, pela oitava rodada do Estadual.


 
Detalhes do jogo

A partida começou equilibrada. Logo no início, o meia-atacante Thiago deu o cartão de visita a Érico, ao receber pela esquerda e chutar forte, mas o camisa 1 do Itabaiana espalmou, Grampola não aproveitou o rebote e a zaga tirou o perigo.

A resposta do time da serra veio com Capela que passou pelo zagueiro Bruno, invadiu a área e de frente para Nilson errou o chute.

Thiago começa a aparecer bem no jogo. Num lance que passaria por Júlio César, o mesmo fez falta e recebeu cartão amarelo. Depois, o atacante Grampola fez falta no meio de campo e recebeu amarelo. No tempo técnico, Narciso sacou Michel e colocou Dênisson.

O Tricolor da Serra assustou, através de Denílson, que sem goleiro, conseguiu chutar para fora. O lance poderia fazer parte do “Inacreditável Futebol Clube”, brincadeira do programa de tevê, Globo Esporte. Após o lance, o atacante mancando sai do campo para a entrada de Jean Carlos.

Depois dos 30minutos, no contra-ataque do Sergipe, Eanes dá um grande passe para Rafael Grampola que entra na área, fica na cara de Érico, tenta driblar o goleiro e o zagueiro, mas perde a bola por preciosismo. A torcida fica na bronca. Por ironia do destino, nos acréscimos da etapa, o Itabaiana abre o placar com Capela, que recebe um cruzamento bem alto da lateral direita, e sobe sozinho para marcar, apesar do pouco ângulo.

Empate

No intervalo do jogo, o técnico Narciso tenta ajustar a equipe. E pelo jeito, a bronca fez efeito. Logo aos 7min, o lateral-direito Gaúcho faz um virada de jogo para o lateral esquerdo Fábio, que invade a área e dá uma assistência para Grampola livre, ajeitar a bola e tocar para o fundo das redes.

Narciso aproveita o bom momento do time para fazer algumas mudanças. Troca Wesley por Renam e depois Eanes por Magno. O meia veloz do Sergipe tenta em algumas oportunidades, e na melhor, recebe um passe de Rodrigo pela esquerda e chuta de primeira, passando a bola perto da trave.

Aos 36min, o atacante Tiririca recebeu a bola pela ponta direita do Sergipe, passou pelo goleiro Nilson, fora da área, e chutou colocado, mas o zagueiro Flávio chegou na hora “H” para espantar o perigo. Final de jogo: 1 a 1.

Ficha técnica

SERGIPE
Nilson, Gaúcho, Flávio, Bruno e Fábio; Michel (Dênisson), Rodrigo, Thiago, Eanes (Magno); Grampola e Wesley (Renam).
Técnico: Narciso.

ITABAIANA
Érico, Jorginho, Índio, Alexandre e Mica; Euler, Álvaro, Júlo César, Capela, Denílson e Tiririca.
Técnico: Samuel Cândido.


Sergipão – 7ª rodada
Local: Batistão, em Aracaju-SE
Data: 05/03/2011 – Sábado
Horário:15h15min
Árbitro: Antônio Hora Filho
Gols: Capela, aos 46min do 1ºT e Rafael Grampola, aos 7min, do 2ºT.


XXX

LEGENDA: Rafael Grampola comemora gol com os braços para o céu.
CRÉDITO DA FOTO: Kleber Santos/CS Sergipe


Esportes
Com.: 0
Por Kleber Santos
04/03
19:37

MPF não reconhece ação da PR/SE para cassar mandato de André Moura

O Ministério Público Federal (MPF), com sede em Brasília (DF), concedeu um parecer favorável ao deputado federal André Moura (PSC), no recurso movido pela Procuradoria da República em Sergipe (PR/SE), que pedia a cassação do seu mandato. O relator do processo é o Ministro Marco Aurélio que ainda vai julgar o parlamentar sergipano.

O processo foi encaminhado para a Procuradoria Geral da República e a vice-procuradora Geral, Sandra Cureau, decidiu não conhecer o pedido da Procuradoria de Sergipe. "É uma notícia positiva porque, se o Ministério Público Federal não conheceu o pedido da Procuradoria de Sergipe, é muito provável que o relator também entenda pela improcedência. Caso contrário, não teria lógica", argumentou.



Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
04/03
11:10

Critérios para complementação ao piso dos professores beneficiam Municípios de nove estados (SE está fora)

Foram publicados no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira, 3 de março, os critérios para que os Municípios que não estão conseguindo pagar o piso salarial do Magistério Público solicitem o apoio financeiro da União. A Confederação Nacional de Municípios (CNM) está atenta às informações porque tem recebido inúmeras ligações de prefeitos com dúvidas sobre o piso.

De acordo com a portaria, o apoio federal poderá beneficiar apenas os nove Estados, e seus respectivos Municípios, que recebem a complementação da União ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Em 2011, são contemplados os Estados de Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco e Piauí.

Para o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, as preocupações se confirmam. A complementação não contempla todos os Municípios que não tiverem disponibilidade orçamentária para cumprir o piso definido pela lei. Somente os 1.755 Municípios dos Estados que recebem a complementação do Fundeb terão direito ao recurso.

A portaria define ainda seis critérios que devem ser atendidos, cumulativamente, para solicitação do recurso federal:

- aplicar no mínimo 25% das receitas na manutenção e no desenvolvimento do ensino;

- preencher o Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Educação (Siope);

- ter o órgão da educação como gestor dos recursos;

- dispor de plano de carreira específico para o magistério;

- demonstrar plenamente o impacto da lei do piso nos recursos do Estado ou Município;

- apresentar planilha de custos detalhada, que apresente a incapacidade para o cumprimento do valor do piso.


Outras exigências

Também é necessário que os Municípios observem os parâmetros definidos pelo MEC para verificação da incapacidade de pagamento do piso. As planilhas de custo devem apresentar a relação professor/aluno por etapa, o comprometimento de recursos com o pagamento dos profissionais do magistério, a variação da remuneração do magistério no Município e a aplicação de recursos acima do mínimo constitucional.

De acordo com levantamento prévio da CNM, dos 1.755 Municípios, 1.651, o equivalente a 94% cumprem, cumulativamente, os requisitos de preenchimento do SIOPE e aplicação de no mínimo 25% em Educação.

A CNM reconhece que esses critérios são mais flexíveis que os estabelecidos em 2009, que exigiam, entre outros requisitos, a aplicação de no mínimo 30% das receitas na educação e que o Município tivesse a maioria plena dos alunos em área rural. Mas segundo a entidade, ainda é preciso avaliar quantos Municípios possuem a gestão plena dos recursos da educação, planos de carreira específicos do magistério e como será feita a apresentação dos comprovantes de necessidade e do impacto do pagamento do piso.

Segundo Ziulkoski, “é importante que os gestores municipais conheçam os critérios para solicitar a complementação ao piso e caso tenham necessidade, apresentem as demandas ao governo federal, para que a União possa apoiar efetivamente o pagamento do piso pelos Municípios”. (Da assessoria da CNM)




Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
04/03
10:56

PGE obtém suspensão de restrição no CAUC/SIAFI - Venceu causa no STF

Atendendo ao pedido formulado pela Procuradoria-Geral do Estado de Sergipe nos autos da Ação Cautelar nº 2805, o Ministro Joaquim Barbosa, do Supremo Tribunal Federal, concedeu medida liminar que determina a suspensão da restrição imposta ao Estado no CAUC - Cadastro Único de Convênios, do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (SIAFI), em virtude de inadimplência do Convênio 119/2003 (SIAFI nº 486206).

A ação teve por fundamento o fato de que a norma de regência (IN 01/97) alberga a possibilidade de suspensão da restrição se o gestor atual for diverso do gestor responsável pela inadimplência e que seja instaurada a devida Tomada de Contas Especial (TCE) com a inscrição do responsável (ex-gestor) no cadastro "Diversos Responsáveis".

Quando o valor do dano, contudo, for inferior ao limite estabelecido pelo TCU para instauração de TCE, esta não se instalará, tampouco haverá registro do ex-gestor no cadastro "Diversos Responsáveis". Em casos dessa natureza (pequeno valor do dano), deve ser instaurado procedimento próprio com a inscrição do responsável no CADIN.

Malgrado a previsão legal, o MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) entendeu que não poderia retirar o Estado do CAUC até que fosse efetivada a inscrição do ex-gestor no CADIN, procedimento que demanda, por determinação legal, prazo de 45 dias após a notificação do responsável para efetivação.

A prosperar o entendimento do MAPA e o Estado teria que aguardar o decurso desse prazo para se ver livre da restrição, o que não é razoável e é ofensivo ao direito do Estado e, de última análise, de todos os sergipanos, pois ao estar inscrito no CAUC o Estado deixa de receber repasses voluntários de verba federal, não pode celebrar novos convênios, sendo impedido, ainda, de celebrar operações de crédito, como empréstimos como o Banco Mundial ou o BNDES. (Da assessoria)




Economia
Com.: 0
Por Eugênio Nascimento
Primeira « Anterior « 1664 1665 1666 1667 1668 1669 1670 1671 1672 1673 1674 » Próxima » Última

Enquete


Categorias

Arquivos